É uma publicação já com centenas de partilhas acumuladas, exibindo uma imagem de Rui Rio, presidente do PSD, sob a seguinte mensagem: "Rui Rio sugere 'tectos de pensões'". Logo a seguir aparece uma suposta citação do líder do PSD, retirada a partir de uma entrevista à TVI e que passamos a transcrever: "Ninguém consegue viver com pensão abaixo de 500 euros".

Confirma-se que Rui Rio defende a fixação de "tectos nas pensões" de reforma? Verificação de factos.

Na mais recente entrevista de Rui Rio à TVI, na noite de 3 de setembro (a publicação em análise data de 4 de setembro), o líder do PSD foi questionado por António Betâmio de Almeida, presidente da associação cívica APRe! - Aposentados, Pensionistas e Reformados , sobre "o que poderão esperar os aposentados, pensionistas e reformados" de um eventual novo Governo do PSD, liderado por Rui Rio (pode aceder aqui à gravação em vídeo).

Mais concretamente, Betâmio de Almeida perguntou: "Voltarão os cortes nas pensões ou, caso contrário, qual é a política que defenderá para reforçar o sistema público de pensões e recuperação do rendimento dos pensionistas?" Na resposta, Rui Rio alertou para os riscos de sustentabilidade da Segurança Social "num horizonte de médio e longo prazo", sublinhando que "as pessoas que hoje têm 30 anos não estão seguras e as de 40 também não", relativamente às pensões de reforma que vão receber no futuro próximo.

"Nós temos a obrigação, perante as gerações mais novas, de fazer uma reforma que garanta a sustentabilidade da Segurança Social, a competitividade da economia e que não haja pensionistas pobres no futuro. Ou seja, com aquilo que hoje corresponde a 300 euros, ou 400, ou 500 euros", afirmou Rui Rio, na entrevista à TVI (inserida no âmbito da série "Tenho uma pergunta para si", com representantes da sociedade civil, além dos jornalistas moderadores, a colocarem perguntas aos líderes dos principais partidos, na antecâmara das eleições legislativas de outubro de 2019).

Ora, Rui Rio não fez qualquer referência nem sugestão quanto a "tectos de pensões". O mesmo se aplica à suposta citação - "Ninguém consegue viver com pensão abaixo de 500 euros" - que afinal é apócrifa, embora o líder do PSD tenha defendido a necessidade de uma reforma do sistema de Segurança Social que garanta que "não haja pensionistas pobres no futuro", isto é, "com aquilo que hoje corresponde a 300 euros, ou 400, ou 500 euros".

No programa eleitoral do PSD para as eleições legislativas de 2019 também não encontramos qualquer medida que aponte para a fixação de "tectos de pensões" de reforma. Pelo que classificamos a publicação em análise como falsa.

***

Nota editorial: este conteúdo  foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam naquela rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações "falso" ou "maioritariamente falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso