Na ressaca dos resultados das eleições internas do PSD que se realizaram no passado sábado, Rui Rio, que bateu Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz (a segunda volta, entre Rio e Montenegro, realiza-se no próximo fim-de-semana), aproveitou para causticar os que criticaram o seu resultado nas legislativas, utilizando a ironia para o efeito. Num tweet publicado na sua página oficial, pode ler-se o seguinte:

Professora: Qual é a diferença entre um desastre eleitoral e um resultado jeitoso?.

Zéquinha: 0,4%! Sra. professora! Porque quando em Outubro o PS teve mais 8,5% do que o PSD, eles acharam que houve um desastre. E agora que perderam por 8,1%, acham que tiveram um resultado jeitoso.

As contas do Rio - que é economista de formação - enfermam de um problema que é muito comum quando se analisam resultados eleitorais: a confusão entre percentagem e pontos percentuais.

De facto, assim como em Outubro o PS não venceu as eleições com mais 8,5% do que o PSD, também Rio não teve no último sábado mais 8,1% do que o segundo classificado, Luís Montenegro. As expressões corretas a utilizar seriam 8,5 pontos percentuais e 8,1 pontos percentuais, respetivamente.

Isto porque a expressão "pontos percentuais" é utilizada para comparar duas percentagens diferentes em termos absolutos, ao passo que a expressão "percentagem" serve habitualmente para calcular a amplitude da variação de um qualquer fenómeno mensurável.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network