O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Ronaldo condenado a 99 chicotadas pelo regime iraniano?

Sociedade
O que está em causa?
Na recente visita do Al-Nassr ao Irão, um gesto de solidariedade de Ronaldo está a ser tomado como um ataque à moral por parte das autoridades locais? Verificação de factos.

Cristiano Ronaldo condenado a 99 chicotadas no Irão por comportamento considerado indecente ou até adultério tido naquele país. A pena pode ser aplicada na próxima visita do jogador ao Irão.

Esta é a essência de publicações que se tornaram virais nas redes sociais e até de notícias de alguns órgãos de comunicação social. A fonte dessa informação seria a imprensa iraniana, garantindo-se mesmo que foi originalmente veiculada pelo Sharq Emroz, suposto meio de comunicação iraniano.

Na origem desta sanção (“até 99 chibatadas”), estaria o facto de Cristiano Ronaldo cumprimentar com um beijo na cara e um abraço a pintora Fatemeh Hamami, gestos mostrados por fotografias e um vídeo com grande repercussão nos media e nas redes sociais.

Segundo as mesmas publicações, tal enquadrar-se-ia no artigo 637 do Código Penal do Irão, que prevê esse castigo “quando um homem e uma mulher que não são casados cometem atos indecentes”. Outras contas nas redes sociais e media apontaram também para um contexto penal de adultério (pelo facto de Ronaldo ser casado com outra mulher).

Mas o que aconteceu afinal?

Cristiano Ronaldo esteve com a sua equipa no Irão, nos dias 18 e 19 de setembro, para disputar um jogo para a Liga dos Campeões asiática (Persepolis- Al-Nassr). Foi informado que Fatemeh Hamami, pintora que tem cerca de 85% do corpo com a movimentação comprometida (paraplégica), tinha pintado – com os pés – dois retratos seus e que gostaria de lhos oferecer.

Combinou, por isso, recebê-la no átrio do hotel onde a equipa saudita ficou hospedada. Esse é o momento que foi captado nas imagens e divulgado pelos canais oficiais do Al-Nassr: Ronaldo cumprimenta a pintora com dois abraços (um no início e outro no fim) e um beijo na cabeça (no fim), recebe os dois quadros e, retribuindo a cortesia, oferece a Fatemeh Hamami uma camisola oficial sua. Nada mais do que isto.

Depois da informação sobre o alegada condenação se tornar viral, a embaixada do Irão em Espanha acabou por se ver obrigada a emitir um comunicado, nas suas redes sociais, desmentindo categoricamente qualquer julgamento ou pena e elogiando o gesto do jogador português:

“Desmentimos rotundamente a emissão de qualquer decisão judicial contra qualquer atleta internacional no Irão. É preocupante que a publicação de tais notícias sem fundamento possa ofuscar os crimes contra a humanidade e os crimes de guerra contra a nação palestiniana oprimida.

Note-se que Cristiano Ronaldo se deslocou ao Irão em 18 e 19 de setembro para disputar um jogo oficial de futebol e foi calorosamente recebido pelo povo e pelas autoridades. O seu encontro sincero e humano com Fatemeh Hamami foi igualmente elogiado e admirado tanto pelo povo como pelas autoridades desportivas do país.”

Refira-se ainda que o alegado meio de comunicação iraniano (Sharq Emroz) não tem qualquer registo ou rasto (a não ser as menções a esta “notícia”) quando se efetua uma pesquisa no motor de busca do Google.

É, assim, falso que Ronaldo tenha sido condenado a um castigo de até 99 chicotadas pelas autoridades do Irão.

___________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque