"O doutor António Costa arranjou uma forma airosa de evitar ter de fazer o que sabe que não é bom para Portugal; ter de votar nele próprio. Chapeau!" Foi esta a polémica mensagem que Rui Rio, líder do PSD, publicou hoje no Twitter.

A ideia é clara: na medida em que está recenseado e encabeça a lista de candidatos do PS no círculo eleitoral de Lisboa, ao votar no Porto, Costa não estaria a votar "nele próprio". Ou seja, ao votar no Porto, estaria a votar na lista do PS no Porto, encabeçada por Alexandre Quintanilha.

O tweet de Rio surgiu na sequência da notícia de que Costa se inscreveu para votar antecipadamente no Porto, a 23 de janeiro, cerca de uma semana antes da data definida para as eleições legislativas.

Pouco tempo depois de Rio, a reação de André Ventura, líder do Chega, também no Twitter, foi em tudo similar: "António Costa faz tudo para não votar nele mesmo. Sabe bem que será um desastre para Portugal!"

No primeiro dia de inscrições para o voto antecipado em mobilidade, Costa registou-se para votar no próximo domingo, no Porto, no Pavilhão Rosa Mota - um dia em que estará em campanha eleitoral entre os distritos do Porto, Braga e Viana do Castelo.

Porém, ao contrário do que sugeriram os seus dois adversários, o voto de Costa, antecipado e em mobilidade, conta para o círculo eleitoral de Lisboa. Ou seja, o candidato do PS continua a ter a possibilidade de votar "nele mesmo".

Na página da Comissão Nacional de Eleições (CNE), esclarece-se que para exercer o voto antecipadamente em mobilidade é necessário apresentar o documento de identificação civil e indicar a "freguesia em que está recenseado".

"São-lhe entregues um boletim de voto e um envelope branco. Assinale a sua escolha no boletim, dobre-o em quatro, meta-o no envelope branco e feche-o. Este envelope é metido noutro azul onde vão ser escritos o seu nome e número de identificação civil e a freguesia e posto de recenseamento, se houver, em que está inscrito", informa-se ainda no site da CNE, em relação ao processo do voto antecipado.

"Deve apresentar-se na mesa de voto por si escolhida e identificar-se mediante apresentação do seu documento de identificação civil, indicando a sua freguesia de inscrição no recenseamento eleitoral", informa-se também no Portal do Eleitor.

Entretanto, Rui Rio já classificou a publicação como "uma brincadeira", dizendo que a campanha eleitoral também tem de ser "alegre e com alguma piada".

Em resposta, Costa afirmou que o presidente do PSD tentou "disfarçar o seu desconhecimento" afirmando que "foi uma graçola", noticiou o jornal "Público". "Acho que o doutor Rui Rio tinha obrigação de saber o que era o voto antecipado. Se resolveu disfarçar o seu desconhecimento como tendo sido uma graçola, pronto é uma graçola”, afirmou o líder do PS, em São Miguel, nos Açores, onde se encontra em campanha eleitoral.

Costa garantiu ainda que em qualquer local que os cidadãos exerçam o seu direito de voto antecipado ele é contabilizado no círculo eleitoral onde cada um está inscrito. “Eu teria muito gosto em votar no professor Alexandre Quintanilha [cabeça de lista do PS no Porto], mas apesar de votar no Porto o voto vai ser contabilizado no círculo eleitoral de Lisboa e também não vai ser preciso o meu voto para o professor Alexandre Quintanilha ganhar a Rui Rio no círculo eleitoral do Porto”, concluiu o líder do PS.

Em conclusão, qualquer pessoa que decida votar antecipadamente em mobilidade está a eleger os deputados do círculo eleitoral em que está recenseado. Em forma de exemplo, se um eleitor recenseado no distrito de Braga se inscrever para o voto antecipado em Faro, estará a escolher os deputados candidatos ao círculo eleitoral de Braga e não de Faro.

_________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network