"A propósito da revista de Natal da CML [Câmara Municipal de Lisboa], pedi a Carlos Moedas que me esclarecesse se esta resulta de um exercício de má gestão ou de narcisismo. São 260 fotos do presidente para 252 páginas. Ainda não estou esclarecido", sublinha Pedro Anastácio, vereador do PS na CML, em tweet datado de 22 de dezembro.

Na mesma publicação é exibido um clip de vídeo que regista uma intervenção do mesmo vereador na Reunião Pública da CML realizada no dia anterior, 21 de dezembro. "Trouxe esta revista, acho que o senhor presidente a conhece. Foi um presente de Natal que o senhor presidente me deu a mim e a todos os funcionários da CML e quero agradecer-lhe", ouve-se Anastácio dizer, mostrando um exemplar da revista (ou agenda) em causa.

"A primeira nota é que o senhor presidente aparece extraordinariamente bem nas fotos e é o primeiro elogio que lhe faço. A segunda é dizer-lhe que a revista com 252 páginas tem 260 fotos do senhor presidente. E achei isto curioso, achei que podia ser um caso de eventual alegada utilização dos recursos do município para promoção pessoal da agenda do senhor presidente", critica, em tom de ironia.

O vereador destaca ainda uma imagem como exemplo: "Esta fotografia é a minha preferida, de amplo interesse para a cidade. O senhor presidente ao telemóvel, numa obra feita pelo seu antecessor [Fernando Medina]."

  • Moedas diz que foi ele quem consignou a obra para os Túneis de Drenagem em Lisboa. É verdade?

    Depois de mais um fim de semana com avisos laranja para alguns distritos a Sul, Moedas viu levantar a pressão sobre a cidade de Lisboa, onde os habitantes esperam a concretização de uma das obras mais importantes do Plano Geral de Drenagem: os túneis de Monsanto-Santa Apolónia e de Chelas-Beato. Sobre o projeto, Moedas garante ter sido o próprio a consignar a obra, o que corresponde à realidade, mas que não passa de uma formalidade, tendo em conta que todo o processo - adjudicação feita, contrato assinado e até um prazo de execução - estava fechado antes de o social-democrata assumir funções.

Na resposta às questões levantadas, Moedas justificou: "Há uma coisa que aprendi na Comissão Europeia. Tem a ver com a transparência total da nossa agenda. Os presidentes da Câmara que me antecederam, e bem, normalmente no fim do tempo que aqui estiveram fizeram um livro sobre aquilo que fizeram."

"A secretaria-geral propôs-me e eu achei bem fazer algo mais no sentido europeu, no sentido da transparência total da minha agenda. É importante para todos e um sinal que se dá", defendeu o presidente da CML.

O Polígrafo consultou a revista, intitulada como "Servir Lisboa", que foi distribuída por Moedas num almoço de Natal com os vereadores e chefias municipais. De facto, a publicação é composta por um total de 252 páginas e contam-se 260 fotografias em que aparece o presidente da CML.

As primeiras imagens retratam desde logo a tomada de posse de Moedas como presidente da CML, após as eleições autárquicas de setembro de 2021.

É um documento em formato de agenda, no qual se apresentam destaques mensais do programa de atividades do presidente da CML, com uma fotografia de Moedas em grande plano no início de cada mês.

As imagens seguintes têm, na maioria dos casos, o foco principal no presidente, ou foram captadas em eventos em que o mesmo estava presente e surge entre outras pessoas ou grupos.

Contactado pelo Polígrafo, Anastácio explica as motivações para ter levantado a questão na Reunião Municipal: "A mensagem que procurei sublinhar foi a demonstração de um perfil que o livro transparecia de alguma imagem narcisista, no sentido de abundar a imagem do senhor presidente na quase totalidade das páginas dos livros."

"Demonstra, ou faz parecer, que as funções que Carlos Moedas está neste momento a desempenhar na CML são como uma ferramenta ou um meio para voos políticos maiores. E o destaque e o enfoque que é colocado no presidente demonstra isso mesmo: por um lado um perfil narcisista e por outro uma visão, ou sentimento, em que o corpo está presente na cidade de Lisboa, mas em que a cabeça está noutros sítios", conclui.

____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network