"A repórter Maju, foi entrevistada pela TV de Portugal, ontem, e o repórter perguntou sobre a questão do presidente Jair Bolsonaro, ela disse que existe uma grande crise no Brasil, se for necessário ela trabalha até de graça para ver a queda do presidente", salienta-se na mensagem da publicação em causa.

"O repórter perguntou para ela sobre o ex-presidente Lula [da Silva], ela disse que na época do Lula [da Silva] o Brasil era melhor", acrescenta-se.

Verdade ou falsidade?

Não há qualquer registo público de que a repórter da TV Globo, Maria Júlia Coutinho, tenha sido recentemente entrevistada por uma estação de televisão portuguesa.

Como a publicação não especifica o canal em que a suposta entrevista terá sido transmitida, o Polígrafo efetuou uma pesquisa na programação das principais estações de televisão portuguesas (RTP, SIC, TVI, etc.), mas não encontrou qualquer referência à pivô brasileira.

Por outro lado, o G1, portal de notícias brasileiro pertencente ao Grupo Globo, desmentiu esta alegação na sua rubrica "Fato ou Fake".

"A apresentadora do Jornal Hoje nunca deu entrevista à imprensa portuguesa, muito menos falando sobre Bolsonaro e Lula. Também não deu entrevista recente a qualquer outro veículo de comunicação. Basta uma busca rápida na Internet para ver que não há registos da propalada entrevista. Tal declaração também não foi feita publicamente tampouco em suas redes sociais", assegura-se no artigo de verificação de factos.

Mais, a assessoria de imprensa do Grupo Globo enviou uma nota à Agência Lupa, plataforma de fact-checking brasileira, assinalando também que "as declarações são falsas. Maju Coutinho não deu entrevistas nos últimos dias para televisões de Portugal ou para qualquer outro veículo".

Nas redes sociais da apresentadora também não foi possível encontrar qualquer publicação que remetesse para a suposta entrevista. Pelo contrário, a jornalista partilhou no seu Twitter algumas verificações de factos que foram feitas sobre o assunto, todas concluindo que se trata de fake news.

_________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações “Falso” ou “Maioritariamente Falso” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network