“A ONU confirma os crimes contra a humanidade cometidos pelo Exército ucraniano”, escreve-se numa publicação do Facebook que remete para um artigo do site “Tierra Pura”, uma página dedicada à partilha de desinformação, apesar de se assumir como uma plataforma de “informação sem censura”.

Nesse artigo lê-se que “o relatório do Gabinete do Alto Comissariado para os Direitos Humanos revelou a extensão das violações cometidas pelo exército ucraniano contra soldados russos capturados ou civis ucranianos pró-Rússia em áreas controladas pelo governo ucraniano”.

Segundo o mesmo texto, em que nunca é disponibilizada a hiperligação para o relatório, o documento “acusa as tropas ucranianas de cometerem assassinato premeditado ao capturar soldados russos ou pró-russos, e de ameaçar um soldado russo com castração em frente às câmaras”.

Confirma-se?

Não, a informação partilhada é totalmente falsa, dado que não há nenhum relatório da ONU com esta informação, nem qualquer comunicação das Nações Unidas sobre alegados crimes contra a humanidade cometidos pelo exército ucraniano.

Importa sublinhar que os crimes contra a humanidade são geralmente definidos como atos cometidos no quadro de um ataque, generalizado ou sistemático, contra qualquer população civil. Numa pesquisa nas páginas oficiais das Nações Unidas, nas redes sociais da organização e nos jornais de referência nacionais e internacionais, o Polígrafo não detetou qualquer menção a este suposto relatório ou a estas acusações.

Recorde-se que as Nações Unidas têm acompanhado a guerra na Ucrânia e, a 4 de março, criaram uma Comissão de Inquérito para “apurar as alegações de violações dos direitos humanos praticadas durante a ofensiva da Rússia ao país”. No entanto, ainda não são conhecidos os resultados da investigação.

Além disso, a 7 de abril, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução para suspender “os direitos de participação da Federação Russa no Conselho de Direitos Humanos", após a “violência reportada contra civis em Bucha, nos arredores da capital ucraniana, Kyiv”.

Em suma, é falsa a existência de um relatório da ONU a confirmar crimes contra a humanidade cometidos pelo exército ucraniano.

___________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network