"Os casos de Covid-19 entre bebés e crianças até aos nove anos tem vindo a aumentar em Portugal, bem como os doentes infetados, com idades entre os 10 anos e os 19 anos. Hoje, o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (na sua página 2) informa que existem 705 doentes infetados confirmados entre bebés e crianças até aos nove anos. Mais 193 casos do que os registados no dia 16 de maio, quando existiam 512", indica-se no texto do artigo, datado de 2 de maio.

Vários utilizadores do Facebook denunciaram este conteúdo como sendo falso ou enganador. Confirma-se?

De acordo com o mais recente (com dados até ao dia 3 de junho e divulgado no dia 4 de junho) relatório da DGS sobre a situação epidemiológica em Portugal, na faixa etária até aos 9 anos de idade, desde o início da pandemia registam-se 383 casos do sexo masculino e 355 casos do sexo feminino, perfazendo um total de 738 casos.

A publicação sob análise difunde informação verdadeira.

Importa contudo ter em atenção dois factos adicionais: primeiro, uma parte (não especificada nos relatórios da DGS) dos 738 casos na faixa etária até aos 9 anos (tal como nas restantes faixas etárias) não estão ativos, tendo entretanto recuperado da infeção; segundo, na faixa etária até aos 9 anos não se regista um único óbito, desde o início da pandemia, aliás tal como na faixa etária seguinte até aos 19 anos de idade.

__________________________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network