O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Queda de homem palestiniano é técnica “Pallywood” para “distorcer a realidade e moldar a opinião pública”?

Guerra Israel-Hamas
O que está em causa?
Propaga-se no Facebook um vídeo associado a um breve texto em que se denuncia uma suposta técnica "muito usada pelos palestinianos" para virar a opinião opinião pública a favor do Hamas. Esta técnica, denominada "Pallywood", consiste na queda de um homem palestiniano após discutir com um grupo de militares israelitas e um socorro imediato "sob o olhar atento de vários repórteres". A alegação tem fundamento?

And the Oscar goes to… [E o Óscar vai para…] Um palestiniano a discutir com um grupo de militares israelitas. Durante a discussão, o homem cai sozinho no chão. Imediatamente surgem várias câmeras e repórteres por todo o lado, convergindo sobre o homem que caiu sozinho. Em menos de um minuto aparecem paramédicos e ambulâncias que o levam para o hospital, sempre sob o olhar atento de vários repórteres”, começa por se destacar num post de Facebook em que se partilha um vídeo a mostrar a suposta queda.

E o post continua: “Esse é o chamado Pallywood, uma técnica muito usada pelos palestinos para distorcer a realidade e moldar a opinião pública a seu favor.”

A alegação é verdadeira?

Nas imagens vê-se o referido homem a gritar com soldados israelitas até que se ouve um estrondo e o homem cai abruptamente no chão. Segundos depois é socorrido e surgem repórteres identificados através de coletes azuis com a palavra “Press” (imprensa em português) escrita nas costas.

Várias publicações a circular nas redes sociais acusam o o grupo militante palestiniano Hamas de ter “atores de crise” a desempenharem o papel de vítimas em encenações para tornar a opinião pública favorável ao Hamas após o ataque lançado contra Israel a 7 de outubro de 2023, sendo que esta poderia ser, mais uma.

No entanto, o vídeo não mostra um confronto recente entre soldados e um palestiano. São imagens que remontam a 2015 e o protagonista do vídeo não finge a queda. 

Através de uma pesquisa pelas imagens do vídeo, identificam-se várias reportagens que mostram o mesmo homem e mesmo momento, mas em ângulos diferentes. Estas revelam que o protagonista do vídeo era Ziyad Abu Haleel que, à data, tinha 65 anos e confrontava soldados em Hebron, na Cisjordânia, numa altura em que a violência escalava na região ocupada por Israel.

Segundo o site “International Business Times“, que divulgou a tradução do que o homem gritava aos soldados, Haleel recusava mover-se e gritava que os soltados “deviam ter vergonha“.

Com base nesta tradução, o palestiniano questionava os militares sobre como eram capazes de disparar armas “contra crianças” e se isso seria eticamente correto. Pedia ainda para que tirassem os “soldados daqui” e não disparassem as armas. Após o confronto, o homem caiu no chão e os jornalistas que estavam por perto ajudaram-no até a chegada de uma ambulância.

Haleel ter-se-à sentido mal com a tensão provocada pelo momento. Segundo a imprensa, foi socorrido no hospital e teve alta pouco depois apenas com algumas nódoas negras causadas pela queda.

À estação de televisão Al Jazeera, num vídeo divulgado no dia 11 de outubro, o homem palestiniano indicou que estava a confrontar os militares para os impedir de disparar contra jovens palestinianos.

___________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes