"O hospital é o de Évora e o saco pode ser do Lidl ou do Minipreço. Isto não se inventa", salienta-se em mensagem associada à publicação em causa.

No cartaz indica-se um suposto "processo de admissão" na maternidade do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE). Além da obrigatoriedade da utilização de máscara e do distanciamento social destaca-se a necessidade de "cobrir a cabeça do utente com saco", caso existam suspeitas de Covid-19.

Esta imagem já foi partilhada por centenas de pessoas no Facebook. Mas será que é autêntica?

Questionada pelo Polígrafo, fonte oficial do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) afirma que "tomou conhecimento da divulgação de uma imagem com referência à 'admissão à maternidade do HESE' que circula nas redes sociais", mas esclarece "que o conteúdo da imagem não faz, nem nunca fez, parte de nenhum documento, nomeadamente das normas definidas na instituição e divulgadas internamente, relativas à resposta no contexto da pandemia de Covid-19, ou noutra qualquer circunstância".

Em suma, a imagem que está a ser propagada nas redes sociais é falsa.

___________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações “Falso” ou “Maioritariamente Falso” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network