O meme circula, por exemplo, no Facebook. Junta uma fotografia do cantor Prince, e outra do antigo jogador de basquetebol Michael Jordan, a um texto sobre os dois: “Em 1971, Prince investiu na Nike. Depois, em 1983, contratou Michael Jordan, desenhou os primeiros ténis Jordan, e planeou a campanha de venda dos sapatos. Prince tornou Michael Jordan num magnata de ténis e poucos o sabem. Morreu no dia 21 de abril de 2016. Que descanse em paz, esta lenda que criou outra lenda.”

Não é, de todo, a primeira vez que a Internet eleva uma estrela do passado a um patamar onde cada raio de luz brilha ainda mais. A subida deve-se, regra geral, a facetas extraordinárias, mas desconhecidas de fãs, simpatizantes e do público em geral. Prince foi considerado, por muitos, um génio da música, pelo que ser apresentado, agora, como um empreendedor e um visionário que lançou para a ribalta outras pessoas, numa área completamente diferente, não parece uma história impossível. Ainda assim, não deixa de ser uma narrativa duvidosa, sobretudo por só ter vindo a público mais de 30 anos depois, precisamente quando estão em causa duas pessoas conhecidas à escala planetária.

Primeiro, há que localizar a história. Prince nasceu em junho de 1958. Segundo a imagem, fez o  investimento na marca em 1971. Era, por isso, menor, aliás, tinha 12 ou 13 anos. Significa isto que é provável que a idade seja o rabo de fora do gato escondido. Mas há mais: o primeiro álbum do cantor só foi lançado em 1977, quando tinha 19 anos. Antes disso, o norte-americano de Minneapolis não tinha nem projeção internacional, nem sucesso comercial que lhe permitisse investir numa marca daquela envergadura, ainda mais quando era menor.

Portanto, há evidências de que o conteúdo do meme não passa de uma história encantadora, porém inventada. Ainda assim, as provas não ficam por aqui: o site de verificação de notícias “Politifact” revela que, por outro lado, Michael Jordan só assinou com a Nike em 1984, e não em 1983 como refere a publicação, e que não há qualquer registo que sugira que Prince tenha alguma coisa a ver com a contratação. Entenda-se por registo, notícias. O jornal garante que caso a estrela pop tivesse tido mão no contrato, o episódio teria sido noticiado, pelo facto de o autor de “Purple Rain” estar a atravessar uma época de ouro na carreira musical, a meio dos anos 80.

Em relação à criação dos ténis, uma breve pesquisa no Google por “Air Jordan designer” permite descobrir que o criador do primeiro modelo foi Peter Moore, e nunca Prince.

Por fim, e para que não restem dúvidas, o autor da biografia do artista, publicada no ano passado, confirmou ao “Politifact” que a afirmação é um mito “estranho”. Joseph Vogel adiantou, ainda, que “Prince e Michael Jordan não mantinham qualquer tipo de relação, apesar de Jordan ser um fã da sua música”. Ora, se dúvidas existiam sobre a falsidade do meme, estão, neste momento, num dos estados mais prováveis depois da morte: o de redução a cinzas.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso