O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Primeiro-Ministro: “Fomos ultrapassados por diversos países europeus: a Polónia, a Hungria, a Estónia, a Lituânia, e, prestes a fazê-lo também, a Roménia”

Política
O que está em causa?
O Primeiro-Ministro abriu esta manhã a sessão do primeiro dia de discussão do programa do Governo, mas nem tudo o que disse se confirma. Luís Montenegro garantiu que Portugal foi ultrapassado por quatro países no PIB per capita, mas, se essa situação já se verificou antes, não é agora uma realidade.
© José Sena Goulão/Lusa

Depois de enumerar uma série de medidas inscritas no seu programa de Governo, Luís Montenegro aproveitou o primeiro discurso desta manhã na Assembleia da República (AR) para lembrar que, do Partido Socialista, só herdou o pior: “Os portugueses exigem-nos mudança, que é o mesmo que dizer que querem virar a página do empobrecimento, a impressão digital dos últimos oito anos. Desde 2015, fomos ultrapassados, no rendimento por habitante, por diversos países europeus: a Polónia, a Hungria, a Estónia, a Lituânia, e, prestes a fazê-lo também, a Roménia.”

À data em que Luís Montenegro discursa, apenas um destes países – a Lituânia – está efetivamente acima de Portugal no indicador Produto Interno Bruto (PIB) per capita, em Paridades de Poder de Compra (PPC). É que, de acordo com os dados compilados pelo Eurostat, Portugal subiu de 78% do PIB per capita da média da União Europeia (com 27 Estados-membros, excluindo desde logo o Reino Unido que deixou de ser membro em 2020) em 2015, quando António Costa assumiu o cargo de Primeiro-Ministro, para 83% em 2023.

Entre os atuais 27 Estados-membros, Portugal ocupava a 18ª posição em 2015, mantendo o mesmo lugar em 2023. Em 2015, Portugal ainda estava acima de 10 outros Estados-membros, a saber: Eslováquia, Estónia, Lituânia Grécia, Hungria, Polónia, Letónia, Croácia, Roménia e Bulgária. Ao longo dos últimos oito anos, e com várias subidas e descidas, Portugal foi de facto ultrapassado pela Polónia (em 2021), pela Estónia (em 2017, 2018, 2019, 2020, 2021 e 2022) e pela Lituânia (em 2017, 2018, 2019, 2020, 2021, 2022 e 2023). Portugal nunca foi ultrapassado pela Hungria (apesar de se ter aproximado em 2021).

Conclusão: Montenegro tem razão quanto à Lituânia e, mesmo que em 2023 já não se verifique, poderia dar-se o benefício da dúvida quanto à Estónia. Apesar disso, no ano em que assume o Governo, o Primeiro-Ministro adota um país que esteve quase sempre acima da Polónia, que nunca esteve atrás da Hungria e que acabou mesmo por ultrapassar a Estónia no último ano. Ou seja, a declaração do PM deve ser considerada, com os dados hoje disponíveis, descontextualizada.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque