"O que nós vemos na cidade do Porto são preços verdadeiramente incomportáveis. E isto é inequívoco. A evolução ao longo dos últimos anos da mediana do metro quadrado na cidade do Porto, e entre 2016 e 2021, primeiro trimestre, os preços aumentaram 105%. (...) Estes aumentos foram muito superiores ao aumento a nível nacional, foram superiores ao aumento da área metropolitana do Porto e foram superiores ao aumento em Lisboa", afirmou o socialista Tiago Barbosa Ribeiro, no debate desta noite transmitido em direto na SIC, a partir da Avenida dos Aliados, no Porto.

Estreante na corrida pelo PS, Tiago Barbosa Ribeiro afirmou que a habitação é a sua primeira, segunda e terceira prioridade, mas será que os números que utilizou para sustentar a sua posição estão corretos?

Consultando a tabela do Instituto Nacional de Estatística (INE) relativa ao valor mediano das vendas por metro quadrado de alojamentos familiares, em euros, por localização geográfica e no primeiro trimestre de cada ano mencionado por Tiago Barbosa Ribeiro, verifica-se que, nos primeiro três meses de 2016, o valor mediano das vendas por metro quadrado na cidade do Porto situava-se nos 1088 euros. Desde então, o panorama foi de crescimento e foi já no primeiro trimestre de 2021 que se excedeu uma linha desde 2017 ultrapassada por Lisboa: mais de 2000 euros por metro quadrado de habitação.

ine

Assim, com uma subida de 105% face a 2016, como, e bem, referiu Tiago Barbosa Ribeiro, o valor mediano das vendas por metro quadrado no Porto cifrou-se em 2233 euros nos primeiros três meses deste ano. Nos primeiros trimestres dos anos anteriores, tinham-se registado números significativamente mais baixos: 1873 euros em 2020, 1682 em 2019, 1379 em 2018 e 1124 em 2017.

  • Censos 2021 mostraram tendência de crescimento populacional no Porto?

    No final do mês de julho, aquando da publicação dos resultados preliminares dos Censos 2021, a Câmara Municipal do Porto referiu que se confirmava a "tendência de crescimento da população" da cidade. Na mesma altura, Sérgio Aires, candidato à autarquia pelo Bloco de Esquerda, garantiu que se trata de fake news e que o Porto perdeu 2,4% da população. Confirma-se o crescimento?

Resta saber se a afirmação se mantém factual se compararmos estes dados de crescimento com aqueles registados na cidade de Lisboa. Ora, nesta região, no primeiro trimestre de 2016, o valor mediano do metro quadrado da habitação era de 1875 euros. No entanto, desde 2017, como vimos, Lisboa ultrapassou a fasquia dos 2000 euros por metro quadrado, não tendo nunca conseguido baixar esse montante. Com um crescimento de cerca de 75,8% face a 2016, no primeiro trimestre de 2021 Lisboa atingiu os 3296 euros por metro quadrado de alojamentos familiares.

Em suma, as contas apresentadas por Tiago Barbosa Ribeiro estão corretas e dizem respeito à realidade, tal como comprovam os dados disponibilizados pelo INE.

______________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network