"Como vai a propaganda mentirosa de [António] Costa esconder que o gás natural aumentou 1.300%?", questiona publicação de 2 de setembro no Facebook. "O primeiro-ministro Costa é escorregadio como a enguia. O problema é que existe mesmo um problema na energia que não pode ser escondido com anúncios e com propaganda", acrescenta.

Os dados são apresentados logo depois, com destaque para o período entre 2017 e 2020, quando "o preço médio do gás natural foi de 22 euros/MWh". O autor do post compara então esse valor com o atual, sendo que o montante apontado para aquele estaria acima dos "300 euros/MWh, um aumento de 1.300%".

"Dá que ver que temos mesmo na Europa um grave problema de falta de gás natural. Seria bom que o Costa com um, dez ou mil decretos, um ataque à Endesa ou dizendo que as pessoas podem passar para o 'mercado regulado' resolvesse o problema, mas não vai acontecer", alerta a mesma publicação, questionando sobre quem são os "fornecedores do mercado regulado a preço reduzido".

A publicação em análise recorre a dados do portal "Trading Economics", mas o gráfico divulgado nas redes sociais é original e não foi replicado a partir desse portal, apurou o Polígrafo. Ora, segundo o "Trading Economics", que está sediado em Nova Iorque mas que tem uma equipa de analistas em Lisboa, o preço do gás natural na Europa cifrou-se nos 20 euros por megawatt/hora, em média, entre janeiro de 2017 e dezembro de 2020.

Salto para 2022, quando o preço do neerlandês TTF, referência para o mercado europeu de gás natural, chegou a ser negociado a mais de 300 euros por MWh, no último dia 24 de agosto (bem como nos dois seguintes). As últimas semanas têm, porém, acalmado esta trajetória e o gás natural na Europa já recuou para os 190 euros por KWh, a 16 de setembro.

Se tivermos em conta, unicamente em função dos cálculos, o preço a que foi comercializado o gás na Europa no dia da publicação, estamos perante um montante de 215 euros por KWh o que, face ao período decorrido entre 2017 e 2020, representa uma subida de 877%.

Se, por outro lado, as contas versarem sobre o valor mais alto praticado, de 302 euros por KWh, aí sim conseguimos chegar ao número destacado na publicação: o gás natural para a Europa custava, a 24 de agosto, mais cerca de 1.300% do que a média entre 2017 e 2020.

Por fim, importa salientar que as contas aqui apresentadas se baseiam em médias e não têm em conta a volatilidade dos preços praticados: embora o preço do gás natural tenha chegado, efetivamente, a crescer 1.300% face a um período anterior, a verdade é que esse crescimento não é estático e aconteceu apenas durante um curto período de tempo.

Além disso, a informação está descontextualizada: ao mencionar António Costa (e omitir que estes preços estão a ser praticados em toda a Europa), o post dá a entender que o aumento foi registado nos preços em Portugal para o consumidor, o que não corresponde à verdade dos factos.

__________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Descontextualizado
International Fact-Checking Network