"Qual é o 'nome' que dão a isto?" Esta é a pergunta em destaque sobre a imagem em causa, aparentemente captada a partir de um noticiário da estação de televisão SIC.

No centro da imagem traça-se uma comparação do preço das botijas de gás entre Portugal (23 euros) e Espanha (12 euros), quase o dobro. Também se indica que o salário mínimo em Espanha é bastante superior ao salário mínimo em Portugal.

Vários utilizadores do Facebook denunciaram este conteúdo como sendo falso ou enganador. Confirma-se?

Em Portugal, "o valor final [de uma garrafa de gás] é definido pelos estabelecimentos que o comercializam e o seu valor pode variar significativamente de ponto de venda para ponto de venda, não sendo diretamente controlado pela Galp Energia", informa a empresa na sua página institucional.

A Deco Proteste, através da plataforma "Poupe na Botija", indica que o preço médio no último trimestre de uma garrafa de gás propano de 11 kg foi de 24,53 euros, ao passo que o de uma garrafa de gás butano de 13 kg se cifrou em 25,25 euros.

Quanto a Espanha, a Galp Energia apresenta preços fixos na respetiva página (pode consultar aqui) em língua castelhana: a garrafa de gás propano de 11 kg custa 11,76 euros, enquanto a garrafa de gás butano de 12,5 kg custa 13,37 euros.

Estes valores surgem acompanhados de uma legenda indicando terem sido fixados no Boletim Oficial do Estado de Espanha, em janeiro de 2020, e já incluem os respetivos impostos.

Concluindo, embora apresente valores imprecisos, possivelmente desatualizados, isso não invalida que a principal mensagem da publicação esteja correta: verifica-se uma diferença substancial nos preços das botijas ou garrafas de gás (propano ou botano) entre Portugal e Espanha, quase o dobro na maior parte dos estabelecimentos.

Importa ainda salientar que os preços máximos para o gás engarrafado durante o "estado de emergência" em Portugal, devido à pandemia de Covid-19, a partir do dia 20 de abril de 2020 passaram a fixar-se entre os 18,20 euros e os 81,05 euros, dependendo da capacidade e tipologia, segundo anunciou a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Os preços regulados do gás de garrafa durante o mês de abril foram definidos pelo Governo no Despacho Nº 4698-A/2020, do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital e do ministro do Ambiente e da Ação Climática, que decidiram estabelecer um regime excepcional de fixação de preços de gás engarrafado enquanto durar o "estado de emergência" no país.

Através de um comunicado emitido no dia 20 de abril, a ERSE informou que o valor máximo do GPL butano na tipologia T3 (mais usado pelas famílias para cozinhar e aquecer a casa) será de 21,15 euros para as garrafas com capacidade de 12,5 kg e de 22 euros para as de 13 kg.

Já o GPL propano, também na tipologia T3, terá um preço máximo de 18,20 euros na garrafa de 9 kg e de 22,24 euros na garrafa de 11 kg. No que respeita à tipologia T5, o preço do GPL propano não poderá ultrapassar os 63,04 euros na garrafa de 35 kg e os 81,05 euros na garrafa de 45 kg.

_____________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network