"Sei que não interessa, mas a Alemanha tem 82 milhões [de habitantes] e 18 membros no governo. Nós já temos 19 [ministros] mais 38 secretários de estado", lê-se no post de 29 de março no Facebook.

Os números estão corretos? E a comparação engloba todos os dados (de governantes e habitantes) em causa?

No que respeita à Alemanha, incluindo o chanceler Olaf Scholz, o Governo Federal é constituído por 20 ministros e 61 secretários de Estado. No total são 81 governantes, número bastante superior ao que é indicado (18) na publicação sob análise.

Três dos ministros estão integrados no Ministério dos Negócios Estrangeiros, na qualidade de ministros de Estado. Em cada Ministério há secretários de Estado permanentes e parlamentares.

Em Portugal, o recém-empossado XXIII Governo Constitucional, incluindo o primeiro-ministro António Costa, é constituído por 18 ministros e 38 secretários de Estado. No total são 56 governantes, número quase similar ao que é indicado (57) na publicação.

Em termos de população, a Alemanha tinha, em 2020, 83,24 milhões de habitantes, ou seja, mais 1,24 milhões em relação ao destacado no post. Ainda assim, a comparação com a população portuguesa não sofre grandes alterações e verifica-se mesmo que, nesse ano, havia cerca de oito vezes mais habitantes na Alemanha do que em Portugal.

De resto, importa salientar que a República Federal da Alemanha é constituída por 16 Estados federados - os Länder -, com os respetivos 16 Governos regionais, ao passo que em Portugal há apenas dois Governos regionais (nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores). Ou seja, além de apresentar números incorretos, o post estabelece uma comparação incompleta e enganadora, não englobando os Governos regionais.

____________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network