O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Portugal destaca-se “no topo da carga fiscal mais elevada da União Europeia”?

Economia
O que está em causa?
Em publicação no Threads critica-se Pedro Nuno Santos, líder do PS, por ter afirmado durante a campanha eleitoral que pretende "colocar Portugal no topo". Na suposta medida em que, alega o autor do "post" em causa, "já está no topo da carga fiscal mais elevada da União Europeia". Verdadeiro ou falso?
© Shutterstock

“Pedro Nuno Santos diz que ‘quer colocar Portugal no topo’. Já está, meu caro: no topo da carga fiscal mais elevada da União Europeia; no topo da lista nas negociatas para os amigos; no topo da percentagem de jovens a viver fora das cidades e fora do país”, acusa-se numa publicação no Threads, em referência a uma afirmação proferida pelo líder do PS durante a campanha para as eleições legislativas de 10 de março.

A alegação sobre a “carga fiscal mais elevada da União Europeia” tem fundamento?

De acordo com os últimos dados do Eurostat, serviço de estatística da União Europeia, a carga fiscal (constituída pela soma dos impostos e das contribuições sociais líquidas em percentagem do PIB – Produto Interno Bruto) na União Europeia ascendeu a 41,2% em 2022.

Em Portugal, a carga fiscal fixou-se em 38% do PIB, abaixo da média da União Europeia.

No topo da tabela destacam-se países como a França (48%), Bélgica (45,6%), Áustria (43,6%), Grécia (43,1%), Finlândia (43,1%), Itália (42,9%), Dinamarca (42,5%), Suécia (42,4%) ou Alemanha (42,1%).

Em suma, a carga fiscal de Portugal não é a mais elevada da União Europeia. Aliás, está abaixo da média da União Europeia.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque