Tudo começou no dia 28 de abril de 1912. Incomodados com a imprensa lisboeta, que dava o Sport Lisboa e Benfica (SLN) como campeão nacional de futebol sem que tivesse defrontado uma única vez Futebol Clube do Porto (FCP), os dirigentes do clube nortenho convidaram amigavelmente os seus rivais da capital para organizar o tira-teimas. A vontade de clarificação era tal que até se ofereceram para pagar a viagem. E foi assim que no dia 27 a comitiva encarnada, composta por 24 elementos, desembarcou na estação de São Bento pelas 23h57. À sua espera estava uma pequena multidão. Muitos dos presentes eram portistas que se deslocaram ao local apenas para cumprimentar os adversários.

Este sábado, pelas 20h30, no 85.º clássico realizado na casa dos portistas, o cenário de chá e simpatia não é exatamente igual. Para trás está uma história de rivalidade secular entre os dois emblemas. Uma rivalidade que não se joga apenas dentro das quatro linhas – também nos livros de História ela subsiste. E de todas as perguntas que são feitas, a dúvida maior é: qual é o clube mais antigo? O FCP, que afirma ter sido criado ainda no século XIX, ou o Benfica, que alega ter sido criado pelo menos dois anos antes dos rivais nortenhos?

Ricardo Serrado, mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, foi um dos primeiros historiadores a dedicar-se ao estudo científico do futebol em Portugal. Das suas investigações resultaram livros como "Cosme Damião - O homem que sonhou o Benfica", "O Estado Novo e o Futebol", "O Jogo do Salazar - A política e o futebol no Estado Novo", e a obra em dois volumes "História do Futebol Português", em que deixa claras as suas dúvidas sobre o período em que as duas coletividades foram criadas.

porto
António Nicolau D'Almeida

FUTEBOL CLUBE DO PORTO: 1893 ou 1906?

  • O que diz o Futebol Clube do Porto

Visitando o site do FCP, pode ler-se, no capítulo dedicado à sua história, que 1893 foi momento da fundação: “Foi neste ano que António Nicolau d'Almeida, desportista por excelência e exímio comerciante de Vinho do Porto, pôs em marcha o seu projeto de um clube de futebol na cidade. A fundação comemora-se a 28 de setembro”, pode ler-se no texto introdutório, que acrescenta posteriormente um detalhe que pode não o ser exatamente: depois de, num jogo realizado a 2 de março de 1894 contra o Club Lisbonense, ter sido derrotado por 0-1, nos anos seguintes, o clube entra num período de menor atividade”, tendo voltado a dinamizar em 1906 pelas mãos de José Monteiro da Costa, incluindo já na sua instituição a prática de várias modalidades a par do futebol.

  • O que contrapõe Ricardo Serrado

A tese segundo a qual o clube foi fundado em 1893 não resulta de um trabalho historiográfico – trata-se, tão somente, de uma teoria criada por um conjunto de adeptos do FCP que não tem qualquer adesão à realidade.

Segundo o historiador, de facto existiu de facto um Futebol Clube do Porto em 1893, fundado no mês de Setembro. Existem referências nos jornais a esse clube, fundado por António Nicolau de Almeida, e que disputou a Taça do Rei de 1894, contra o Lisbonense. Este FCP terá durado cerca de um ano.

Serrado aponta o ano de 1906 como aquele em que efetivamente o clube foi fundado por José Monteiro da Costa, que teria ido a Inglaterra, de onde chegou entusiasmado com o futebol. Segundo o historiador, há, na verdade, dois clubes diferentes com o mesmo nome. Numa entrevista que deu ao “Público” em maio de 2013, Serrado concluiu: “Dizer que [o FCP] foi fundado em 1893 é uma revisão histórica forçada e sem fundamento científico.”

cosme Damião
Cosme Damião é a maior figura da história do Benfica, mas não está isento de polémicas

SPORT LISBOA E BENFICA: 1904 ou 1908? Com ou sem Cosme Damião?

  • O que diz o Benfica

No site oficial do clube da Luz, a data de fundação é inequívoca: 28 de fevereiro de 1904. “A ideia da formação de um clube foi sendo criada nos meses anteriores pela junção de dois grupos de elementos que habitualmente treinavam e jogavam em Belém: o grupo dos Catataus, os irmãos Rosa Rodrigues, moradores no prédio da Farmácia Franco, a que se juntaram Manuel Gourlade e Daniel dos Santos Brito, empregados da farmácia; e a Associação do Bem, formada por ex-casapianos que se juntaram para jogar futebol, entre outros fins.”

acta
A acta da criação do Sport Lisboa acerca da qual o historiador Ricardo Serrado tem muitas dúvidas

A ideia da criação de um clube foi tomando forma à medida que o grupo intensificava relações, até que se marcou para 28 de fevereiro de 1904 a data da reunião que marcaria o nascimento daquele que viria a ser o Glorioso Sport Lisboa e Benfica: “Na manhã desse dia 28 de fevereiro, realizou-se um treino, entre as 11 e as 12h30 horas, nos terrenos da CP entre a linha férrea Cais do Sodré-Cascais e as traseiras da casa de praia do Duque de Loulé, onde fica atualmente o Centro Cultural de Belém. Nele participaram os seguintes dez elementos: António Rosa Rodrigues, Cândido Rosa Rodrigues, José Rosa Rodrigues, Daniel Brito, Eduardo Corga, Henrique Teixeira, Carlos França, Abílio Meirelles, Amadeu Rocha e Manuel Gourlade. Como habitualmente a seguir aos treinos, estes – e outros – elementos reuniram-se para almoçar em Belém, após o que se dirigiram para a Farmácia Franco, na Rua de Belém, n.º 20 (onde hoje se situa uma dependência da Caixa Geral de Depósitos), para a reunião decisiva, já com a presença de outros elementos previamente contactados, mas que não participaram no treino matinal. Segundo a lista da reunião, são fundadores do Clube, para além dos dez elementos presentes no treino matinal, mais os seguintes: António Severino, Francisco Calisto, Francisco dos Reis Gonçalves, João Gomes, João Goulão, Joaquim Almeida, Joaquim Ribeiro, Jorge Augusto Sousa, Jorge da Costa Afra, José Linhares, Manuel França, Raul Empis, Virgílio Cunha e Cosme Damião, o elemento que viria a tornar-se o principal dirigente das primeiras décadas da vida do novo Clube.”

cosme Damião
  • O que contrapõe Ricardo Serrado

O historiador não coloca em causa a data da fundação do clube, uma vez que existem vários documentos que a comprovam. Mas alimenta sérias reservas sobre a validade da acta de constituição, alegadamente rubricada na Farmácia Franco.

Segundo Serrano, o documento deixa dúvidas porque quando foi alegadamente assinado a palavra “farmácia” era escrita na grafia antiga (Pharmácia). Ora, no documento, que aparece pela primeira vez no livro dos 50 anos do Benfica, em 1954, a palavra está já na nova grafia...

Outro ponto que coloca reservas ao historiador é o facto de a acta não estar assinada por Cosme Damião, apresentado pelo SLB como o grande impulsionador do clube e como tendo sido o autor da redação do documento fundador. Ora, se Damião esteve presente porque não assinou o documento?, interroga Ricardo Serrado, que acrescenta outro detalhe importante: se compararmos a letra da ata supostamente elaborada por Cosme Damião com outros documentos escritos por si, a letra não é semelhante.

Mais: segundo Serrano, não há nenhum documento do Sport Lisboa (o nome original do clube, que viria a ser acrescentado com o “Benfica” apenas em 1908, o que faz com que os portistas argumentem que é esse verdadeiramente o ano da criação do clube) assinado por Cosme Damião. O historiador remata, em entrevista ao Pública: “Nunca encontrei qualquer indício de Cosme Damião ter sido fundador do Sport Lisboa. O que ele foi, sim, foi o grande impulsionador do Sport Lisboa e Benfica e talvez por isso tenha nascido o mito de que ele foi fundador do Sport Lisboa.”

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Impreciso
International Fact-Checking Network