"Na Polónia, o Governo, para mitigar os efeitos da guerra, baixou os impostos sobre os combustíveis de 23% para 8% e na alimentação [para] 0%. Nós por cá ainda é Big Brother e futebol", lê-se no post de 10 de março no Facebook.

Remete para uma aparente notícia escrita em língua polaca, com a imagem de um automóvel a ser abastecido de combustível por um indivíduo.

Confirma-se a redução desses impostos na Polónia, pelo Governo liderado por Mateusz Morawiecki, com o objetivo de "mitigar os efeitos da guerra" em curso na Ucrânia?

De facto, os impostos sobre os combustíveis e bens alimentares foram reduzidos, na Polónia, mas essa medida foi anunciada quase dois meses antes do início da guerra entre a Rússia e a Ucrânia.

No dia 11 de janeiro, o primeiro-ministro Mateusz Morawiecki comunicou a redução do IVA no preço dos combustíveis para fazer face ao aumento da inflação. De acordo com as estatísticas do Governo, a inflação na Polónia subiu para 8,6% em dezembro no ano passado, o número mais elevado em 20 anos.

Assim, o IVA baixou de 23% para 8% na gasolina e gasóleo; o gás natural e em botija passou de 8% para 0% e no caso da eletricidade manteve-se nos 5%. Também os bens alimentares, fertilizantes e outros produtos agrícolas passaram para 0% para "deixar o máximo possível de dinheiro nas carteiras dos polacos", afirmou na altura Mateusz Morawiecki.

A medida aconteceu na sequência de um pedido feito pela Polónia à Comissão Europeia, feito em dezembro de 2021. O primeiro-ministro polaco sublinhou que a redução temporária do IVA vai durar de 1 de fevereiro a 31 de julho de 2022.

Por causa destas medidas, as populações de países vizinhos que moram junto às fronteiras da Polónia, como Alemanha, República Checa e Eslováquia, têm aproveitado os preços mais baixos para abastecer os veículos e para comprar comida.

A inflação prevista para 2022 na Polónia é, ainda assim, a maior de toda a União Europeia. A Comissão Europeia prevê uma taxa de inflação de 6,8% quando a média europeia será de 3,9%.

Em janeiro de 2022, antes do anúncio da baixa do IVA, a inflação do país tinha subido para 9,2%, mas ainda não há dados referentes a fevereiro e março.

Em suma, o Governo da Polónia baixou o IVA dos combustíveis e dos bens alimentares, tal como é referido na publicação. No entanto, o objetivo não consistiu em "mitigar os efeitos da guerra" (que ainda nem tinha começado), mas sim em enfrentar a maior taxa de inflação do país nos últimos 20 anos.

_________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Impreciso
International Fact-Checking Network