"Polícia francesa junta-se aos manifestantes contra a ditadura sanitária", destaca-se no post datado de 19 de julho.

No vídeo partilhado no Facebook, vários polícias aplaudem os participantes numa manifestação. As imagens mostram os agentes a remover e colocar os capacetes de proteção no chão e os manifestantes a retribuir a ovação.

Será que, tal como se indica na publicação em análise, os polícias do vídeo uniram-se a um protesto contra as restrições impostas pelo Governo francês para fazer face ao aumento de casos de Covid-19?

Nas últimas semanas têm decorrido, em vários países europeus, manifestações contra as medidas que condicionam o acesso a serviços e a estabelecimentos à apresentação de um certificado Covid-19 válido, entre outras regras instituídas com o objetivo de conter o número de infeções provocadas pela variante Delta.

A França não foi excepção. Nos dias 17 e 18 de julho, milhares de pessoas manifestaram-se em Paris e outras cidades francesas contra as novas medidas de combate à Covid-19 impostas no país. Foi contestada a exigência dos certificados de vacinação para se poder entrar em bares, restaurantes e cinemas, assim como a obrigatoriedade da vacinação dos profissionais de saúde.

Os protestos na capital francesa repetiram-se no passado fim-de-semana, dias 24 e 25 de julho. Mas as imagens captadas no vídeo do post não mostram estas recentes manifestações.

Euronews verificou o vídeo e concluiu que as imagens foram captadas em junho de 2020. Tal como noticiou o La Chaîne Info (LCI), estação de televisão francesa, no dia 16 de junho do ano passado realizaram-se várias manifestações de profissionais de saúde em França. Os médicos, enfermeiros e auxiliares de saúde saíram à rua para protestar contra a falta de recursos nos hospitais e pedir o aumento dos salários e a melhoria das condições de trabalho.

Na notícia do LCI relata-se que, na cidade francesa de Nîmes, a polícia que supervisionou a mobilização aplaudiu os manifestantes que passavam. Alguns agentes colocaram os capacetes e escudos de proteção aos pés e, de seguida, vários profissionais de saúde colocaram camisolas e batas no chão e retribuíram a ovação.

As imagens deste momento de união entre polícias e profissionais de saúde estão agora a ser difundidas de forma descontextualizada e enganadora. Assim, é falso que vários membros da polícia francesa se tenham juntado às manifestações das últimas semanas contra as medidas restritivas em França.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network