"Sabia que o rio Tejo vai ser uma pista de avionetas?", questiona-se numa publicação no Facebook, datada de 11 de abril. O autor do texto continua: "Aparentemente, os cruzeiros ali ao lado parecem não ter qualquer influência na poluição da Baixa... O cinismo e hipocrisia do partido nacional socialista é devastador. E gritante, se olharmos para o novo projecto de Estado - o rio Tejo será um aeródromo naval. Assim o determinou o Porto de Lisboa, assim o determinou o Ministério do Ambiente e dos negócios de estado/partido, assim o não questionou a esposa do ex-Ministro Cabrita que fiscaliza esta matéria".

"Isso mesmo, o nosso Tejo será agora uma pista de avionetas de recreio para turistas e o carbono é cool", conclui-se na publicação em análise.

Verificação de factos.

A Administração do Porto de Lisboa, SA. (APL) divulgou, no início de abril, que deu início aos procedimentos necessários para a certificação de um aeródromo naval no rio Tejo, na zona do Mar da Palha. No comunicado, informa-se que a iniciativa "permitirá dar resposta ao número crescente de entidades na área do Turismo que têm manifestado interesse nesta atividade, em Lisboa".

"Ao longo dos anos temos vindo a receber manifestações de interesse de entidades privadas que pretendem realizar voos turísticos em hidroavião, dando a conhecer a cidade de Lisboa e arredores de uma forma diferente aos turistas", afirma Ricardo Medeiros, administrador da APL, citado na comunicação escrita.

A APL esclarece ainda que "o processo de certificação envolverá um conjunto alargado de entidades", tais como a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a Câmara Municipal de Lisboa (CML) e a Capitania do Porto de Lisboa (CPL). Explica ainda que o futuro aeródromo naval "não terá qualquer barreira física, sendo apenas uma área de referência na zona do Mar da Palha. Só haverá descolagem ou amaragem com boa visibilidade e espaço livre e suficiente para a operação em segurança".

Contactada pelo Polígrafo, fonte oficial da APL esclarece que a única deliberação sobre este tema, à data, é a que consta do comunicado citado. A mesma fonte acrescenta que a "decisão de um novo aeródromo naval no Tejo ainda está dependente de ser devidamente certificada pelas autoridades competentes, as mesmas que irão igualmente ponderar e avaliar todas as questões técnicas, operacionais e ambientais a que um projeto com esta natureza está legalmente obrigado e dependente".

Em suma, é verdade que o Porto de Lisboa anunciou recentemente o avanço oficial na criação de um aeródromo naval no rio Tejo, situado na zona do Mar da Palha. No entanto, este equipamento ainda se encontra em processo de certificação técnica, ou seja, ainda não foi avaliado o seu impacto ambiental e operacional.

________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network