O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Pep Guardiola recusou cumprimentar representante de Israel por causa da guerra na Faixa de Gaza?

Sociedade
O que está em causa?
Vídeo que está a ser partilhado viralmente nas redes sociais mostra o treinador catalão do Manchester City a passar ao lado de um indivíduo (associado a uma bandeira de Israel), virando a cara e não o cumprimentando, na tribuna do Estádio de Wembley, Londres, supostamente após o recente jogo da final da Taça de Inglaterra em futebol masculino.

No breve clip de vídeo em causa parece ver-se Josep “Pep” Guardiola, treinador do clube de futebol ingês Manchester City, a fazer questão de não cumprimentar um suposto representante do Governo de Israel na tribuna do Estádio de Wembley, em Londres, após a derrota frente ao rival Manchester United na final da Taça de Inglaterra, jogo que se realizou no dia 25 de maio.

“O famoso treinador espanhol Pep Guardiola recusou-se a apertar a mão do representante de Israel… Um exemplo de um homem com letra minúscula pela sua atitude perante um representante do desporto. Ele que é um dos maiores treinadores de futebol perdeu toda a minha consideração moral”, descreve-se numa das publicações do vídeo no Facebook.

Há vários outros exemplos de publicações do vídeo, tanto no Facebook como no Instagram e X/Twitter, que apontam no mesmo sentido: Guardiola terá recusado cumprimentar um representante de Israel (em algumas versões diz-se mesmo que será um “líder” ou “ministro” do Governo de Israel), por causa da guerra na Faixa de Gaza.

Ao analisar as imagens, porém, verifica-se que não foram captadas no jogo de 25 de maio de 2024, mas sim no jogo da final da Supertaça de Inglaterra em 6 de agosto de 2023, há quase um ano (e antes do ataque de militantes do Hamas contra Israel, a 7 de outubro de 2023, que provocou a guerra em curso desde então na Faixa de Gaza).

Além de o vídeo não ser recente, nem posterior à guerra na Faixa de Gaza, o indivíduo que aparece identificado nas publicações como sendo um “representante de Israel” não tem, na verdade, qualquer relação com o Governo de Israel.

Nem sequer é israelita. Trata-se de Alan Smith, um antigo treinador de futebol de nacionalidade inglesa.

De resto, não se sabe se Guardiola teria mesmo a intenção de não cumprimentar Smith, ou se não passou de um equívoco ou distração. O próprio Smith sugeriu posteriormente que Guardiola poderá tê-lo confundido com algum dirigente do futebol inglês.

______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque