O vídeo tem-se multiplicado em diferentes publicações nas redes sociais, sobretudo no Facebook. Todas dizem, mais ou menos, o mesmo: "PT [Partido dos Trabalhadores] mandou dinheiro para o narcotráfico do Rio, as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), sequestradores e traficantes internacionais, revelação bomba!!! Marcelo Odebrecht afirma em depoimento à justiça que Governo PT mandou dinheiro para o narcotráfico do Rio, as FARC, sequestradores e traficantes internacionais."

Ora, o texto em questão, um dos muitos que acompanham o vídeo, tem sinais daquilo que pode ser considerado, à partida, uma notícia falsa: erros de construção frásica e de português, sensacionalismo e repetição de ideias quase até à exaustão. Porém, o vídeo que tem saltitado de mural em mural pertence à estação de televisão Globo News, o que credibiliza, e pode tornar verdadeira, a revelação escandalosa.

Caso não existissem imagens, seria mais complicado fazer uma verificação, mas uma vez que há, basta, em primeiro lugar, assistir ao vídeo. Quem o fizer, percebe que, de facto, a pivô do telejornal afirma que o antigo presidente da Odebrecht (construtora brasileira envolvida num esquema de corrupção de políticos, entre os quais Lula da Silva, que está preso por ter alegadamente aceitado um suborno da empresa), Marcelo Odebrecht, revela à justiça que havia montantes de um saco azul utilizado para pagar a traficantes, sequestradores e guerrilheiros. Logo depois, surge o depoimento do engenheiro civil, arguido na operação Lava Jato, a confirmar a utilização ilegal do dinheiro, mas sem fazer qualquer referência ao Partido dos Trabalhadores, ou a Dilma Rousseff e a Lula da Silva, o que exclui qualquer ligação política ao esquema. Significa isto que é falso que o empresário tenha garantido que o PT pagava por atividades ilegais.

brasil
A delação premiada de Marcelo Odebrecht fez manchete de várias publicações brasileiras

No fim de contas, uma coisa é certa: no que relato que fez sobre o esquema de pagamento a traficantes e a forças revolucionárias, Odebrecht não envolveu qualquer político, pelo que as publicações constituem muito provavelmente um ataque ao Partido dos Trabalhadores

Se ainda restam dúvidas sobre a falsidade do conteúdo escrito das publicações, o site de verificação de factos Boatos.org avança que o depoimento tem dois anos, pelo que se o antigo presidente da Odebrecht fizesse referência, nele, a governos ou a políticos, a revelação teria sido um escândalo no Brasil e seria, por isso, noticiada em todos os grandes órgãos de comunicação social.

O depoimento de Marcelo Odebrecht surge no contexto de uma delação premiada, figura jurídica que, apesar de não existir em Portugal, no Brasil concede a um arguido benefício penal, caso este queira colaborar com a investigação ou denunciar outros crimes ou criminosos.

No fim de contas, uma coisa é certa: no que relato que fez sobre o esquema de pagamento a traficantes e a forças revolucionárias, Odebrecht não envolveu qualquer político, pelo que as publicações constituem muito provavelmente um ataque ao Partido dos Trabalhadores e, consequentemente, a Lula da Silva e a Dilma Roussef. Ainda assim, há outra questão que se levanta: por que razão tem sido o assunto viral, se os textos, mesmo a propagarem uma mentira, estão acompanhados de um vídeo verdadeiro, que revela uma realidade completamente diferente? A resposta poderá estar relacionada com o facto de quem vai partilhando as publicações deixar-se inebriar pelas palavras escritas, tomando-as como verdadeiras, sem sequer ver as imagens, mesmo que durem, apenas, um minuto e meio.

Marcelo
O depoimento do empresário foi crucial para o sucesso da operação Lava-Jato

O depoimento de Marcelo Odebrecht surge no contexto de uma delação premiada, figura jurídica que, apesar de não existir em Portugal, no Brasil concede a um arguido benefício penal, caso este queira colaborar com a investigação ou denunciar outros crimes ou criminosos.

O empresário foi condenado, em 2016, a 19 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção ativa, branqueamento de capitais e associação criminosa, no âmbito do esquema de corrupção na Petrobras, descoberto pela operação Lava Jato. Mais tarde, no final de 2016, Marcelo Odebrecht celebrou um acordo de delação premiada com a justiça brasileira, o que fez com que muita informação sobre crimes de corrupção no Brasil viesse a público e levasse à detenção de vários políticos e empresários.

Avaliação do Polígrafo: 

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network