O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Palestina encenou funeral de uma alegada vítima de Israel que “ressuscita” em novo vídeo?

Guerra Israel-Hamas
O que está em causa?
Vídeo começou a circular em 2020, voltou às redes sociais em 2021 e é agora partilhado na sequência dos ataques em Israel e na Faixa de Gaza. Chegou a Portugal por várias vias e até já foi partilhado pelo conselheiro nacional dos liberais. Mas é completamente falso: mostra uma simulação levada a cabo durante a pandemia e foi gravado na Jordânia, em 2020.

“Palestinianos a carregar o corpo de uma criança enquanto cantam louvores religiosos. Inclusive deram uma entrevista ao ‘Al Jazeera’, alegando que esta criança era uma vítima de Israel. De repente, tocam as sirenes, eles deixam o corpo e ele ressuscita“. A história é completamente falsa, mas não é nisso que o X/Twitter acredita: num “tweet” partilhado ontem, com que os utilizadores da rede já interagiram mais de 40 mil vezes, garante-se que os palestinianos simularam o funeral de uma criança vítima do exército israelita.

Em Portugal, João Caetano Dias, conselheiro nacional do Iniciativa Liberal (IL), não só partilhou o vídeo como escreveu “Pallywood” na descrição da partilha: o termo é cunhado por Richard Landes, produtor do documentário com o mesmo nome “Pallywood: De acordo com fontes palestinianas”. Este rótulo pejorativo junta as palavras “Palestina” e “Hollywood” para descrever uma alegada manipulação dos orgãos de comunicação palestinianos, nomeadamente em “produções encenadas” com equipas de filmagem.

icd

O objetivo é claro: associar o vídeo que se tornou absolutamente viral nas redes sociais a uma suposta encenação fabricada na Palestina. Mas toda a narrativa, assim como aquilo que supostamente se passa na gravação, é baseada numa mentira.

No vídeo, vários homens carregam aquilo que parece ser um caixão. Ao segundo 8, soa um alarme que aparentemente dá conta de um possível ataque aéreo por parte de Israel sobre Gaza. As pessoas envolvidas largam o caixão e saem a correr. Segundos depois, também o “morto” ressuscita.

O vídeo foi gravado na Jordânia, em março de 2020, e não está relacionado com os recentes ataques na Palestina e em Israel. Vídeos como este circulam no Facebook, Instagram e YouTube desde março de 2020, com títulos como “falso funeral durante a quarentena na Jordânia”.

O vídeo foi ainda publicado no YouTube pela “Orient News” e intitulado: “Simulação de funeral na Jordânia para quebrar a quarentena.” Outros meios de comunicação da região, como o “Roya News“, “Youm7” ou o “24.ae” também divulgaram o momento e asseguraram que a gravação mostra um grupo de jovens que tentar sair de casa durante a quarentena associada à Covid-19, simulando um funeral.

____________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque