Na tentativa de desconstruir alguns supostos “mitos” que têm sido gerados em torno das propostas do partido, o Iniciativa Liberal (IL) lançou um site onde vai disponibilizando perguntas e respostas sobre alguns dos temas centrais do seu programa. O primeiro tema foi a Saúde. “Os liberais querem acabar com o SNS?”, questiona-se, dando também a resposta e a argumentação. Em síntese: não, porque noutros países há exemplos de evolução desse modelo para outro com melhor desempenho.

Para apoiar esta posição, o IL serve-se de um gráfico que traça a distinção entre países com sistemas de Saúde do “tipo SNS” (Serviço Nacional de Saúde) e países com sistemas de Saúde “como os que os liberais defendem”. Na primeira categoria, além de Portugal estão Espanha, Reino Unido e Suécia, entre outros. Na segunda categoria estão países como a Alemanha, França, Países Baixos ou Suíça. 

O partido invoca depois os dados do Euro Health Consumer Index (EHCI), um índice internacional que compara o desempenho dos sistemas de Saúde dos países europeus, analisando resultados, capacidade de resposta, entre outros fatores. Neste índice, Portugal está “apenas” no 13º lugar.

“Será que na Alemanha, Holanda, França ou Suíça o acesso à Saúde só existe para quem tem dinheiro para pagar valores astronómicos por uma injeção de insulina? Claro que não. Pelo contrário, são países com sistemas de saúde mais robustos e com melhor desempenho do que o nosso, e com os quais temos muito a aprender”, indica-se no texto logo a seguir à imagem.

Confirma-se que países com sistemas de Saúde do “tipo SNS” têm piores níveis de desempenho?

Analisando o último relatório do EHCI, relativo ao ano de 2018, podemos confirmar que Portugal está no 13º lugar do ranking. No entanto, a análise do EHCI é diferente da que é realizada pelo IL, uma vez que coloca o nosso país na metade superior da lista - são 35 países no total -, destacando um sistema de Saúde com “um desempenho forte” e um bom resultado na relação qualidade-preço

Em que posição é que estão os países destacados pelo IL como representando o seu modelo? Suíça e Países Baixos fixam-se no primeiro e segundo lugares, respetivamente, enquanto a França e a Alemanha estão no 11.º e 12.º lugares. A pontuação dada à Alemanha foi apenas 31 pontos (em 1.000) superior à de Portugal. É também por isso que, no gráfico geral do EHCI, Portugal aparece na mesma categoria de países como a Alemanha, Países Baixos, França ou Suíça. E, como tal, pintado a verde. Neste gráfico, a legenda faz corresponder o verde a um bom desempenho, o amarelo a um desempenho médio e o vermelho a um mau desempenho.

É nesta vertente que o Polígrafo detecta um problema de consistência dos dados. A informação relativa ao tipo de sistema de Saúde é colocada no mesmo gráfico que a informação do EHCI, sendo apenas indicada uma fonte para ambas. Ora, o EHCI não efetuou uma análise dos sistemas de Saúde tendo em conta a sua natureza, nem há qualquer correlação entre a natureza do sistema e respetivo desempenho. A divisão dos países por tipo de sistema de Saúde foi efetuada pelo IL, mas isso não está assumido no texto.

Esta imprecisão pode então levar a que sejam feitas análises e correlações que não são baseadas em factos reais. Ainda que Portugal esteja na mesma categoria de países como Itália ou Letónia quando analisamos o tipo de sistema de Saúde, não está quando analisamos desempenho do mesmo. Itália aparece no mapa pintada de amarelo e no 20º lugar da lista, enquanto a Letónia está no vermelho e ocupa o 30º lugar. No entanto, da forma como estes dados são apresentados pelo IL, parece que o SNS está ao mesmo nível dos outros países com sistemas similares

Acontece o mesmo erro de análise quando pensamos ao contrário: há países que no mapa do IL estão destacados como tendo sistemas iguais ao defendido pelos liberais, mas que no ranking do EHCI têm uma posição inferior à de Portugal. É o caso da Grécia (29º lugar) ou da Croácia (24º lugar) que no gráfico do EHCI estão pintados de vermelho, entre outros. 

Há também o problema das cores escolhidas. Alguns países que no mapa do IL estão pintados de vermelho, mas que ocupam os primeiros lugares da lista do EHCI. O vermelho, que pode ter sido escolhido por simbolizar uma ideologia mais socialista em contraste com o azul do liberalismo, como que sugere uma sensação negativa, de que algo é pior do que o resto. Noruega, Dinamarca, Finlândia e Suécia estão pintados de vermelho no mapa do IL, mas ocupam o 3º, 4º, 6º e 8º lugares da lista do EHCI, respetivamente. 

Assim, neste gráfico encontramos várias informações que estão fora do seu contexto e outras que foram apresentadas de uma forma que pode induzir as pessoas em erro. Primeiro, o 13º lugar de Portugal não pode ser lido como um “apenas” quando há 35 países na lista e a análise do EHCI classifica-o como tendo “um desempenho forte”.

Depois, a fonte citada pelo IL só apresenta dados relativos a um dos fatores apresentados. A colocação de Portugal numa lista onde está pintado a vermelho e em contraste com países que sabemos, à partida, estarem numa melhor posição do que nós, pode levar a uma dedução errada.

A não comparação do lugar de Portugal com outros países do gráfico, com melhor ou pior classificação, também pode induzir em erro. Por fim, a ideia geral que parece ser retirada desta imagem do IL é a de que os países com sistemas de Saúde similares ao SNS não apresentam um desempenho tão bom como aqueles que têm sistemas mais liberais. O que não corresponde, de todo, à análise e conclusões do relatório do EHCI.

___________________________________

Avaliação do Polígrafo: 

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Impreciso
International Fact-Checking Network