“António Costa (o Pinóquio) acabou de dizer na TV que países ricos como a Holanda estão a enviar doentes para o estrangeiro por falta de capacidade. Quando o hospital estrangeiro fica a 30 km e o hospital holandês fica a 150 km, os holandeses fazem as coisas de forma inteligente”, destaca-se num tweet publicado no dia 31 de outubro.

O Polígrafo verificou as declarações do primeiro-ministro António Costa, nesse mesmo dia, após a reunião extraordinária do Conselho de Ministros, tendo recolhido a seguinte citação exata: “Países ricos como a Holanda estão neste momento já a colocar alguns dos seus doentes no estrangeiro porque não têm capacidade de os tratar no seu próprio país”.

Tweet AC

Confirma-se que os Países Baixos estão a enviar doentes Covid-19 para o estrangeiro por falta de capacidade nos hospitais?

Questionado pelo Polígrafo, o Centro Nacional para a Distribuição de Doentes (LCPS) dos Países Baixos confirma que "há cerca de duas semanas, dois pacientes foram transferidos para um hospital na Alemanha". No entanto, ressalva que "ainda não ocorreram transportes de doentes para outros países".

De acordo com uma notícia da agência Reuters, no dia 23 de outubro, um hospital da cidade holandesa Almere transferiu dois doentes em cuidados intensivos, através de helicóptero, para um outro hospital na cidade alemã de Münster, situada a cerca de 65 quilómetros da fronteira entre os dois países.

O porta-voz do hospital holandês, Peter Peels, declarou à Associated Press que transferir pacientes para a Alemanha foi o último recurso, depois de vários hospitais da região terem informado que não tinham capacidade nos cuidados intensivos para receber estes doentes. “Preferimos não deslocar doentes porque é muito drástico, mas para garantir a qualidade e segurança do tratamento, infelizmente, é necessário”, afirmou Peels.

Estas foram as primeiras transferências de pacientes ocorridas durante a segunda vaga da pandemia de Covid-19 nos Países Baixos. Na primeira vaga, entre março e abril, dezenas de pacientes holandeses já tinham sido transferidos para a Alemanha, onde a capacidade das unidades de cuidados intensivos é maior.

Desde meados de setembro que o número de novas infeções por Covid-19 nos Países Baixos tem vindo a aumentar. Na passada sexta-feira, dia 30 de outubro, foram registadas 11.172 novas infeções, o número mais elevado desde o início da pandemia no país.

Em conclusão, a afirmação em causa de Costa não é falsa, mas acaba por extrapolar os factos conhecidos: até ao momento, a transferência de doentes é muito residual (apenas dois doentes no decurso da segunda vaga da pandemia) e tem como destino somente a Alemanha, em região transfronteiriça.

___________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network