"Os piores canalhas que conheci estão ali [nos partidos políticos]. E não é deste ou daquele partido, é de todos. E isso é que é mais arrepiante. Alguns são verdadeiros escroques. Também há gente boa, mas os piores estão dentro dos partidos. Fazem as coisas mais horríveis às pessoas para salvarem os seus pequenos poderes, e isso repugna-me." As afirmações, lidas por milhares de pessoas, são apresentadas no blogue anónimo lusopt como tendo sido proferidas por Francisco Moita Flores, conhecido ficcionista e ex-presidente da Câmara Municipal de Santarém. No texto, acompanhado de um meme, não há qualquer referência à fonte de informação, o que provocou desconfiança a dois leitores do Polígrafo, que solicitaram, através da nossa linha no Telegram (968213936) a realização de um fact-check ao tema.

MoitaFlores

Ao Polígrafo, Moita Flores afirma que nunca deu qualquer entrevista ao blogue em causa (que não foi possível contactar, dado que os seus contactos não são disponibilizados online). Mas recorda-se de ter proferido aquelas afirmações numa entrevista à revista TV Guia depois das eleições autárquicas de 2013, nas quais foi candidato do PSD à Câmara de Oeiras, tendo perdido para Paulo Vistas.

“As declarações foram dadas num contexto de polícia local, não nacional”, sublinha o também comentador televisivo, que acrescenta que mantém a opinião. “Tenho uma repugnância pela política local e pela lógica das influências ao nível do vómito”, afirma, lançando também farpas às estruturas nacionais: “A nível nacional não há partido que não tenha duas correntes (...), dizem que têm um ‘projeto’,  mas depois as perguntas que fazem uns aos outros são sobre quantos votos têm para a concelhia ou para a distrital.”

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro