“Isto é o desespero por manter uma narrativa alucinada. Se mudarem os conceitos podem ter a certeza que viveremos para sempre num fim do mundo ao virar da esquina, nunca haverá “imunidade”, nunca haverá nada, só o que lhes convier nos salvará. Isto é tão óbvio tratar-se de manipulação de palavras para não admitir a farsa que não encontro sequer palavras para descrever tanta falta de vergonha”, argumenta-se no texto em causa.

Na mesma publicação, diz-se ainda que “a OMS teve a ideia genial de mudar o significado de imunidade de grupo. Até 13 de novembro apresentavam imunidade de grupo como imunidade adquirida através de vacina ou infeção e que protege contra uma infeção. Depois de 14 [de novembro] apenas mencionam como adquirida por vacinação, excluindo explicitamente a imunidade por infeção”. Para provar a veracidade das alegações, são partilhadas duas hiperligações: uma da atual página da Organização Mundial da Saúde (OMS) e outra de uma versão antiga da mesma página, utilizando a ferramenta Wayback Machine.

Vacina imunidade

São estas acusações verdadeiras? Verificação de factos.

Atualmente, na página da OMS explica-se que “imunidade de grupo é a proteção indireta de uma doença infecciosa que acontece quando a população é imune graças a vacinação ou imunidade desenvolvida por infeção prévia. A OMS apoia o alcance da imunidade de grupo pela vacinação, não permitindo que uma doença se espalhe por qualquer segmento da população, pois isso resultaria em casos e mortes desnecessárias”.

Em concreto sobre a Covid-19, a OMS esclarece que “a imunidade de grupo contra a Covid-19 deve der alcançada protegendo as pessoas com a vacinação e não expondo-as ao agente patogénico que causa a doença”, antes de fazer uma explicação global acerca da vacinação contra o SARS-CoV-2.

Na versão antiga da página, com data de 9 de junho de 2020, lia-se: “Imunidade de grupo é a proteção indireta de uma doença infecciosa que acontece quando a população é imune graças a vacinação ou imunidade desenvolvida por infeção prévia. Isto significa que mesmo as pessoas que nunca foram infetadas, ou nas quais a infeção não desenvolveu uma resposta imunológica, estão protegidas porque as pessoas ao seu redor que estão imunes podem atuar como enfraquecedor entre elas e a pessoa infetada. O limite para estabelecer a imunidade de grupo para a Covid-19 ainda não está claro.”

No entanto, a página teve ainda uma outra versão, com data de 13 de novembro de 2020, em que apenas o primeiro parágrafo era diferente comparativamente à versão atual. “Imunidade de grupo é um conceito utilizado para a vacinação, em que a população pode ser protegida de um certo vírus se um determinado patamar de vacinação for atingido”.

Conclui-se que o autor do texto faz uma extrapolação indevida das alterações no site da OMS. Os textos foram alterados mais do que uma vez, mas a versão atual contém informação semelhante à inicial, tendo sido apenas acrescentada informação relativa à vacinação.

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network