Depois de Jeffrey Epstein – conhecido apoiante e financiador do partido democrata ao longo das últimas décadas – ter sido acusado de ter coordenado um esquema de tráfico sexual de jovens adolescentes, começou a circular nas redes sociais americanas um conjunto de quatro imagens que mostra o antigo presidente norte-americano Barack Obama a homenagear Bill Clinton, Harvey Weinstein, Anthony Weiner e Bill Cosby. Os quatro têm algo em comum: todos estiveram envolvidos em escândalos sexuais.

A história de Bill Clinton e Monica Lewinsky é universalmente conhecida e remonta à década de 1990, quando o caso do então presidente norte-americano e a jovem estagiária de 22 anos parou o mundo. Mais recentemente, em 2017, o produtor de cinema Harvey Weinstein tornou-se o centro de um longo processo judicial por assédio sexual a atrizes em troca da promessa de uma carreira e, no mesmo ano, o ex-congressista nova-iorquino Anthony Weiner foi visado por ter enviado fotografias pornográficas a raparigas menores de idade. Também Bill Cosby enfrenta numerosas acusações de violação assédio sexual com drogas e até abuso sexual de menores, que já virão desde a década de 1960.

Apesar de todos eles terem ligações a processos de cariz sexual, será que é mesmo verdade que Obama os condecorou com a mais alta distinção dos Estados Unidos? Sim, não, não e não. Das quatro fotos que surgem na publicação somente uma é verdadeira: Barack Obama apenas entregou a Medalha da Liberdade a Bill Clinton, em novembro de 2013. Nem Weinstein, nem Weiner, nem Cosby foram galardoados pelo ex-presidente dos EUA. Dos três homens, apenas o ator Bill Cosby consta da lista oficial do Senado como tendo recebido a Medalha Presidencial da Paz, mas não foi Obama quem a entregou - foi George W. Bush, em julho de 2002.

O processo de manipulação não é complexo e em algumas imagens é fácil identificar que a cabeça dos três homens foi adicionada de forma propositada a outras fotografias. A plataforma de fact-checking norte-americana Snopes analisou as três imagens e concluiu a que condecoração correspondiam verdadeiramente: a fotografia usada para falsear a distinção de Weinstein era, na verdade, da entrega da Medalha Presidencial da Liberdade ao vice-presidente Joe Biden, em janeiro de 2017, enquanto a de Weiner correspondia à de Tom Hanks, em novembro de 2016, e a de Cosby era referente à homenagem a Bruce Springsteen, na mesma data.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Pimenta na Língua