"Para ele, não temos de ficar confinados! Temos é de usar a regra dos três cês: evitar close contacts (contactos próximos), closed spaces (espaços fechados) e crowded spaces (espaços lotados). O nosso comportamento como sociedade é fundamental para construir a tão desejada imunidade de grupo, protegendo os grupos de risco. Vá lá, custa tão pouco", apela-se na mensagem da publicação em causa.

Pedro Simas Publicação Facebook

O virologista Pedro Simas defende que cumprir regras de distanciamento social é fundamental para evitar confinamento?

Questionado pelo Polígrafo sobre o conteúdo da mensagem que se espalhou nas redes sociais, Pedro Simas defende que foi o cumprimento das regras de distanciamento físico/social "que permitiu controlar o crescimento exponencial do número” de doentes infetados pelo novo coronavírus.

À chamada regra dos três C’s, utilizada por exemplo pelo Ministério da Saúde do Japão num cartaz de prevenção e combate à Covid-19, o virologista acrescenta as medidas também defendidas pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA e que também classifica como fundamentais: o uso de máscara e a higienização regular das mãos.

"O próprio CDC diz que estas regras substituem um confinamento", afirma, salientando que o mesmo foi necessário para garantir que estas medidas eram realmente cumpridas numa primeira fase.

“Na Coreia do Sul, por exemplo, o uso de máscara é natural e os números foram sempre controlados", apesar de não ter sido decretado um confinamento geral, sublinha.

Segundo o especialista, os países onde se cumprem estas regras, após o desconfinamento, têm mantido os números controlados. "Onde há relaxamento, há surtos", alerta, ressalvando que em Portugal, até ao momento, a situação "está controlada".

"Só depende de nós mantermos os números controlados e evitarmos uma segunda vaga grave", diz Pedro Simas, relembrando que, além destas medidas que dependem da adesão dos cidadãos, o país dispõe de testes e estratégias de testagem que permitem manter a propagação sob controlo. 

O virologista considera que manter as regras de distanciamento físico/social, o uso da máscara e a higienização das mãos permitirá também enfrentar a próxima época de gripe, na medida em que a propagação do vírus influenza pode ser evitada da mesma forma.

_________________________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network