Mesmo depois da eleição de Jair Bolsonaro para a presidência do Brasil - o novo presidente toma posse amanhã, terça-feira -, as fake news sobre políticos ligados à anterior administração continuam a proliferar. Desta vez a ex-presidente Dilma Rousseff é o alvo de um vídeo colocado a circular no Facebook e no YouTube no passado dia 18 de Dezembro, que dá conta de um encontro entre a antiga presidente e o actual líder da Rússia, Vladimir Putin. Título do vídeo: “O Brasil ia ser uma base da Rússia”. Segundo a narrativa apresentada, os dois esquerdistas acordavam em, tal como o título indica, conceder domínio internacional a Vladimir Putin em solo brasileiro.

Em causa estaria o "Projeto Aster",  que teria como objetivo criar uma base militar russa no Brasil, no que seria o embrião da criação da URSA - a União das Repúblicas Socialistas da América, sob o comando da força militar de Putin.

Esta é a narrativa partilhada com milhares de utilizadores daquelas plataformas. Agora a verdade:

O "Projeto Aster" de facto existe, mas não visa constituir qualquer tipo de exército dos czares no Brasil. Trata-se de uma expedição brasileira ao espaço, pensada em parceria com os russos. Outra das informações erradas no vídeo diz respeito à sigla UFA, que designaria o exército comandado por Putin. Na verdade, essa palavra designa o local onde a reunião entre os dois presidentes teve lugar: Ufá é a maior cidade da República do Bascortostão.

Putin

O encontro, por outro lado, não teve nada de secreto. Trata-se da VII Reunião dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África de Sul) em 2015, em que o objetivo foi “aprofundar o diálogo” entre os países que compõem o grupo, segundo disse o Ministério das Relações Exteriores do Brasil nessa altura, citado pelo Globo.

Trata-se, por isso, de mais uma fake news, já desmontada pelo site brasileiro de fact-checking Boatos.org, que sublinha ainda que até o tipo de legendas utilizadas nesse vídeo, bem como a sua estética, já foram usadas noutras notícias do mesmo género, como uma alegada humilhação que Rousseff  sofreu num encontro da União Europeia e a alegada história de um general russo que acusou os brasileiros de serem comunistas.

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network