"A China criou o vírus, matou 1% da sua população, afundou a economia mundial e agora estão livres do vírus, tudo conforme planeado", denuncia-se numa das publicações em causa.

Há vários outros exemplos de teorias de conspiração com mensagens similares.

Têm alguma sustentação factual?

Não. Desde logo porque não é verdade que o surto Covid-19 na China tenha resultado na morte de 1% da respetiva população.

Até ao momento contabilizam-se cerca de 81 mil infetados com a Covid-19 na China, entre os quais 3.245 mortos. Ora, tendo a China cerca de 1.400 milhões de habitantes no total, o número de mortos do surto corresponde a cerca de 0,000232% da população chinesa.

Acresce que a China, nos últimos anos, tem levantado algumas restrições ao nível da natalidade, com destaque para a abolição da "política do filho único" que vigorou até 2016. Ou seja, o regime chinês até tem promovido o aumento da natalidade e não o controlo populacional, de forma a manter o ritmo de crescimento económico.

Também não se confirma que o novo coronavírus tenha sido criado artificialmente em laboratório, ao contrário do que alegam múltiplas teorias de conspiração que circulam nas redes sociais. No dia 17 de março, aliás, foi publicado um estudo científico que demonstra a origem natural do SARS-CoV-2, o novo coronavírus que provocou a pandemia de Covid-19 à escala global.

"As nossas análises demonstram claramente que o SARS-CoV-2 não é uma construção em laboratório nem um vírus propositadamente manipulado", sublinham os autores do estudo.

***

Nota editorial 1: este texto foi produzido pela redação do Polígrafo e cientificamente validado pela Direção-Geral da Saúde, no âmbito de uma parceria estabelecida entre as duas entidades a propósito de um tema que se reveste de um inquestionável interesse público.

Nota editorial 2: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações “Falso” ou “Maioritariamente Falso” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network