O deputado social-democrata Duarte Marques acusou o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) de ter, no distrito de Santarém, quatro ambulâncias novas que estão imobilizadas devido à incompatibilidade de critérios do INEM e do Instituto de Mobilidade e Transportes (IMT) no que respeita à aprovação da circulação de ambulâncias. “Esta situação é ridícula”, adiantou o deputado ao Polígrafo, que culpabiliza o governo socialista.

A situação, noticiada na edição de hoje do jornal Público, motivou Duarte Marques a remeter um  conjunto de questões aos ministérios da Saúde e da Administração Interna. O social-democrata exige esclarecimentos sobre o caso, que se faz sentir em Alcoentre, Sardoal, Golegã e Alcanena.

Numa nota enviada hoje à imprensa, o PSD refere que  para “cumprir o protocolo do INEM está-se a desrespeitar a Portaria sobre os veículos de transportes de doentes, mas para cumprir esta Portaria os bombeiros têm que violar o protocolo assinado com o INEM.” Conclusão do PSD: o Governo revela “incompetência” e “falta de noção da realidade do terreno”.

“Há tempos foi a pintura das ambulâncias”, ironiza. Agora, os motivos “vão desde o número de luzes ‘strobo’ à forma como o nome do dístico do corpo de bombeiros está posto, ao peso dos veículos de emergência”, diz Duarte Marques.

Os motivos apresentados pelos bombeiros para o ‘chumbo’ do IMT,  prendem-se com questões de descoordenação entre algumas especificidades aceites pelo INEM, mas negadas pela Portaria n.º 260/2014, de 15 de dezembro do IMT, relativa ao transporte de doentes. Segundo Duarte Marques - que denunciou a situação na sua página no twitter, esta não é a primeira vez que a descoordenação existe: “Há tempos foi a pintura das ambulâncias”, diz. Agora, os motivos “vão desde o número de luzes ‘strobo’ à forma como o nome do dístico do corpo de bombeiros está posto, ao peso dos veículos de emergência”, acrescenta. Estes detalhes são expostos na carta enviada aos Ministérios da Saúde e da Administração Interna.

Nas missivas enviadas, questiona-se o Executivo sobre se pretende encontrar alguma solução “para ultrapassar de imediato, e de forma definitiva” a descoordenação entre o INEM (Ministério da Saúde) e os protocolos impostos pelo IMT.

Contactado o INEM, a instituição confirmou a situação ao Polígrafo - uma situação que, assegurou, não tem colocado em causa a assistência às populações.

Por estes motivos, ao acusar o INEM de ter quatro ambulâncias paradas em Santarém, Duarte Marques está a ser...

Verdadeiro