"O álcool gel e nada é exatamente a mesma coisa. Pelo contrário, ele até é mais perigoso do que se você não passar nada. O álcool não mata nada, ou seja, não desinfeta nada, apenas esteriliza. E esse álcool que se compra tem mais de 70% de água e 20% de um espessante (...) que faz com que ele se gelatine. Menos de 10% de álcool está presente. (...) O álcool só mata fungos e bolores. Esse agente gelatinoso é um veículo para que se crie bactérias dentro dele."

"Se você quer fazer mesmo uma assepsia completa das suas mãos e dos seus braços tem de utilizar, por incrível que pareça, o vinagre. Só que o vinagre é muito barato e essas empresas e indústrias farmacêuticas estão perdendo dinheiro junto com a globo e outros jornais que falam que o álcool gel é o melhor que existe. Não é. Pare de usar."

Confirma-se? Verificação de factos.

O Polígrafo questionou fonte oficial da Direção-Geral da Saúde sobre o caso, que afirma que o vídeo sob análise é "contrainformação". E explica: "A melhor solução para higienizar rapidamente as mãos é a fricção com uma solução à base de álcool. Estas soluções podem ser adquiridas em três formas: líquida, gel ou espuma".

"Quando usada uma solução em gel há estudos que referem que as mãos devem ser lavadas mais vezes durante o dia com água e sabão para ir retirando a película que se vai formando ao longo do dia. Isto é importante em pessoas que possam usar repetidamente a solução ao longo do dia", destaca.

China está a exportar carne humana contaminada com Coronavírus para África?
créditos: Poligrafo

"Quando usada uma solução em gel há estudos que referem que as mãos devem ser lavadas mais vezes durante o dia com água e sabão para ir retirando a película que se vai formando ao longo do dia. Isto é importante em pessoas que possam usar repetidamente a solução ao longo do dia", destaca.

E conclui: "Qualquer uma das apresentações têm vantagens e desvantagens mas são adequadas para os cidadãos e profissionais de saúde usarem, desde que a solução contenha pelo menos 70% de álcool na composição e tenha preferencialmente um emoliente da pele para ajudar a manter a hidratação da pele".

Em suma, o vídeo disseminado nas redes sociais, além de não ter qualquer sustentação factual, está a propagar desinformação.

***
Nota editorial 1: Este texto foi produzido pela redação do Polígrafo e cientificamente validado pela Direção-Geral da Saúde, no âmbito de uma parceria estabelecida entre as duas entidades a propósito de um tema que se reveste de um inquestionável interesse público.
***

Nota editorial 2: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network