O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Banco de Portugal alerta: Há risco de clonagem de cartões nas estações de serviço. Verdade?

Sociedade
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
Através do WhatsApp, uma mensagem profusamente partilhada avisa os cidadãos de que o Banco de Portugal considera que existe perigo iminente de verem os seus cartões de multibanco clonados.

Está a circular através de uma corrente de WhatsApp um suposto aviso do Banco de Portugal em que se aconselha os portugueses para não passarem o cartão em duas máquinas multibanco diferentes sob o pretexto de avaria no leitor de uma das máquinas. Em causa estão a clonagem de cartões de crédito ou débito. Diz a mensagem: “Na mesma loja nunca passem o cartão em duas máquinas diferentes com a desculpa de avaria no leitor de uma das máquinas. Estão a ser detetadas cópias de cartões multibanco a um ritmo assustador”.

alerta

Na publicação em questão também é referido que a maior parte das clonagens de cartões são realizadas “em estações de serviço e bombas de gasolina”. O autor do texto ainda acrescenta: “Desconfiem se o funcionário do estabelecimento comercial vos pedir para passarem o cartão por 2 máquinas DIFERENTES!! A primeira é um gravador que lê a banda magnética e o respetivo PIN do vosso cartão. A segunda é que é a de pagamento”.

Será verdade?

Não. Ao Polígrafo, fonte oficial do Banco de Portugal desmentiu a publicação que está a ser divulgada: “O Banco de Portugal não emitiu o referido alerta. Eventuais alertas do Banco de Portugal são sempre divulgados no seu sítio institucional”.

O Banco de Portugal informa ainda que quando utilizam o cartão para realizar pagamentos presenciais, os consumidores devem introduzi-lo no terminal para leitura do chip embutido no cartão e introduzir um pin (a não ser que se trate de uma operação contactless). Não deverá permitir a leitura da banda magnética.

Ao Polígrafo SIC, fonte oficial do Banco de Portugal desmentiu a publicação que está a ser divulgada: “O Banco de Portugal não emitiu o referido alerta. Eventuais alertas do Banco de Portugal são sempre divulgados no seu sítio institucional”.

Mais, garante o Banco de Portugal que a 14 de setembro de 2019 entraram em vigor as regras de autenticação forte que obrigam o banco a solicitar ao consumidor pelo menos dois elementos pertencentes às seguintes categorias:

1. Conhecimento (por exemplo, pin ou palavra-passe);

2. Posse (por exemplo, one-time password, telemóvel ou cartão de pagamento);

3. Inerência (por exemplo, impressão digital).

Em suma, a publicação que está a circular nas redes sociais é falsaO Banco de Portugal não emitiu nenhum alerta que vise a não passagem do cartão no TPA, por duas vezes, na mesma loja, sob o risco de clonagem do cartão.

Avaliação do Polígrafo:

 

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Fact checks mais recentes