“Bill Murray morre aos 81 – Queria ver os americanos unidos em redor de Trump”. É este o título da notícia que deu a volta ao mundo antes de ser oficialmente desmentida.

De acordo com o ConservativeTears.com, um site conhecido por disseminar falsa informação, o ator – que se celebrizou, entre outros, pela sua participação em “Ghostbusters” e “Lost in Translation” teria morrido na sua casa, situada em Winnetka, no Estado do Wisconsin.

bill Murray

Para dar crédito à “notícia”, o site cita um comunicado assinado pelo advogado e porta-voz do ator, Art Tubolls:

“O Bill queria ver a América unida em redor do Presidente Trump e a combater contra todas as coisas com que ele combateu durante toda a carreira (...) Bill Murray era um grande homem. Estava divorciado da sua mulher, Anne Murray, há cerca de 20 anos, mas sempre mantiveram o contacto. Morreu sem família e deixa o seu património ao “Future Trumps of America Children´s Brigade”, uma organização não lucrativa que alerta as crianças de 5 anos sobre os perigos que as pessoas más existentes da sociedade podem representar. A seu lado, quando morreu, Bill tinha os seus melhores amigos e o seu cão, Bob. Ele e Bob foram cremados juntos.”

Tudo isto é pura invenção. A notícia da morte de Bill Murray é, como diria o escritor Mark Twain, manifestamente exagerada, tal como tudo na notícia aliás. A idade do ator, por exemplo: Bill não tem 81 anos. Tem 68.

Esta não é a primeira vez que Bill Murray é prematuramente “morto” por algum órgão de comunicação social, como se pode ver pelas imagens abaixo:

bill Murray
bill Murray
bill Murray
bill Murray

Avaliação do Polígrafo:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network