Questionado sobre as dificuldades de acesso à habitação em Lisboa, em entrevista conjunta à rádio TSF e ao jornal "Diário de Notícias", a 23 de julho, Nuno Graciano, candidato à presidência da Câmara Municipal de Lisboa com o apoio do partido Chega, sublinhou que a cidade terá perdido metade dos seus habitantes nas últimas duas décadas.

"Eu gostava de aumentar o número de residentes em Lisboa. Lisboa perdeu metade dos seus habitantes nos últimos 20 anos. Tinha um milhão e agora tem cerca de 500 mil habitantes. As rendas são absolutamente impraticáveis e a compra de casas também é impraticável em Lisboa", afirmou Graciano.

No decorrer da entrevista, posteriormente, voltou a sublinhar a mesma ideia: "Se temos metade da população que tínhamos há 20 anos, quer dizer que programa não está a funcionar. Penso que reabilitar o vasto património imobiliário da Câmara com arrendamento acessível é um dos pontos importantes".

Confirma-se que "Lisboa perdeu metade dos seus habitantes nos últimos 20 anos"?

No dia 28 de julho foram divulgados os resultados preliminares dos Censos 2021. De acordo com estes novos dados, atualmente residem 544.851 pessoas no município de Lisboa. Registou-se uma diminuição de 1,4%, que corresponde a menos 7.849 habitantes, relativamente à população apurada nos Censos 2011.

Graciano referiu-se a um decréscimo de metade da população do concelho de Lisboa em relação "há 20 anos", ou seja, garantiu que em 2001 residiam no município cerca de um milhão de pessoas. Mas essa alegação é falsa.

De acordo com os dados recolhidos nos Censos 2001, disponíveis na Pordata, nesse ano a população residente em Lisboa era de 564.657 habitantes, quase metade do que foi indicado pelo candidato do Chega. Portanto, registou-se uma diminuição de 3,5% da população de Lisboa entre 2001 e 2021.

Na verdade, é preciso recuar 40 anos (e não 20) para se observar um registo da população residente em Lisboa mais próxima de um milhão. Em 1981 residiam 807.937 pessoas no município.

De acordo com o documento "Retrato de Lisboa - Infografia 2018" do Observatório de Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa, "a evolução demográfica do concelho de Lisboa caracteriza-se por uma perda progressiva de população ao longo das últimas três décadas, ainda que essa perda tenha recentemente desacelerado: segundo os dados censitários, entre 1981 e 1991, a população residente em Lisboa diminuiu 18%, enquanto, entre 2001 e 2011, regista-se uma diminuição de 3%".

Segundo o mesmo documento, "estas alterações são motivadas pela perda de população ativa a favor da migração, nomeadamente para a Área Metropolitana de Lisboa, e pela emigração, só minimizada pelo aumento de população estrangeira a residir no concelho de Lisboa".

Ou seja, mesmo efetuando uma comparação da população residente em Lisboa entre 1981 e 2021, conclui-se que, apesar de se ter verificado uma diminuição acentuada, esta não alcançou os 50% mencionados por Graciano. Nos últimos 40 anos, o número de habitantes no município diminuiu 32,6%. Como tal, residem hoje menos 263.086 pessoas em Lisboa do que na década de 1980.

_______________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network