O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Número de imigrantes ilegais “ultrapassou” o número de nascimentos nos EUA?

Internacional
O que está em causa?
Um pouco por todo o mundo, os temas relacionados com a imigração têm sido altamente permeáveis ao surgimento de narrativas de desinformação. Desta vez, a alegação surge dos Estados Unidos da América e dá conta de que o número de imigrantes ilegais naquele país é já superior ao de nascimentos. Verdade ou mentira?

“Desde agosto, há oficialmente mais chegadas [de imigrantes ilegais] por mês do que crianças nascidas de mães americanas. E estes são apenas os encontros oficiais – não sabemos quantos evitaram a deteção”, lê-se numa publicação partilhada recentemente na rede social X/Twitter, por uma conta intitulada como “Datahazard”, que pretende retratar o atual cenário da imigração nos Estados Unidos.

A acompanhar o post surge um gráfico, que exibe uma alegada comparação entre o número de “nascimentos americanos” e de encontros das autoridades com “imigrantes ilegais”. Segundo a imagem, este segundo indicador teria agora superado o primeiro pela primeira vez desde há vários anos – com a responsabilidade a ser atribuída à atual administração de Joe Biden.

Em causa está um gráfico que levou alguns utilizadores a proferir, nas redes sociais, algumas considerações sobre o cenário retratado. “Facto: Em agosto de 2023, a imigração ilegal ultrapassou os nascimentos americanos. Estamos a ser substituídos por uma nova população de invasores”, lê-se numa dessas publicações.

Mas será que estes dados comprovam mesmo que o número de imigrantes ilegais nos Estados Unidos já superou, em agosto, o número de crianças nascidas no país?

O tema foi primeiramente alvo de análise por parte da equipa de fact-checking do “PolitiFact” e do “USA Today”, pertencentes à International Fact-Checking Network (IFCN).

Como a própria publicação alvo de análise indica, para a conceção deste gráfico foram tidos em conta os “encontros” das autoridades com imigrantes ilegais: isto é, um indicador que contabiliza os incidentes envolvendo os mesmos. Ou seja, em causa está, aqui, um número de eventos e não de pessoas, o que faz dele um indicador pouco fiável para contabilizar o número de indivíduos que atravessaram a fronteira ilegalmente.

Assim sendo, o que nos mostram dados provisórios do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) do país é que, em agosto passado, registaram-se 322.000 nascimentos. Os serviços de Alfândega e Proteção de Fronteiras relataram, por sua vez, 304.073 “encontros” das autoridades com imigrantes que entraram ilegalmente nos Estados Unidos: um valor, ainda assim, mais baixo do que o relativo ao de crianças nascidas no país.

Importa ainda ter em conta os 82.657 “encontros” desta natureza que resultaram na expulsão ou devolução destes migrantes aos seus países de origem, segundo informação do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos.

Ao USA Today, Steven Camarota, diretor de investigação do “Center for Immigration Studies”, sustentou igualmente que a alegação não tinha fundamento: “Resumindo, o número de novos imigrantes ilegais que se instalam no país não tem precedentes, mas não excede o número de nascimentos.” Pelo que atribuímos à mesma o carimbo “Falso”.

____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque