A conclusão chega, mais uma vez, através de uma publicação nas redes sociais que utiliza um meme, com uma fotografia em duplicado de um professor ao lado de um quadro, para supostamente explicar o que se está a passar. Na imagem de cima lê-se que "países do Ocidente: ocupados a combater o coronavírus"; em baixo, destaca-se que "resultado: o terrorismo parou em todo o mundo".

Pode existir a perceção de que o número de episódios terroristas abrandou, ou chegou perto de zero nos últimos meses, isto porque a cobertura mediática de acontecimentos relevantes tem reportado muito pouco além do novo coronavírus. Ainda assim, em bom rigor, é falso que, com a Covid-19, o terrorismo tenha feito uma espécie de pausa.

A plataforma britânica de verificação de factos "Full Fact" analisou esta alegação, compilando uma série de exemplos de atentados terroristas nas últimas semanas para comprovar que, infelizmente, o terrorismo continua ativo e a ser um problema à escala global.

Desde 13 de março, dia em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que a Europa se tinha tornado no novo epicentro da pandemia, e altura em que os países ocidentais começaram a implementar medidas de contenção contra a propagação do coronavírus, registam-se vários incidentes de terrorismo, em países de diferentes continentes.

Em Kabul, no Afeganistão, na Ásia, um atirador do Estado Islâmico matou pelo menos 34 pessoas numa cerimónia religiosa. Na mesma cidade, no dia 25 de março, mais 25 pessoas foram assassinadas num ataque terrorista, reivindicado também pelo Daesh ("Estado Islâmico").

Ainda em março, registaram-se ataques em Taji, no Iraque, onde um míssil, alegadamente lançado pelo movimento Hezbollah, matou três pessoas: uma técnica de saúde britânica e dois norte-americanos. Já a organização terrorista Boko Haram matou 92 soldados no Chade e 47 na Nigéria, dois países do continente africano.

No mês seguinte, o registo de ataques terroristas não cessou, acrescentando-se 52 mortos em Moçambique, num ataque perpetrado por um grupo extremista islâmico no dia 22 de abril. Em França, Europa, um homem com uma faca matou duas pessoas perto da cidade de Grenoble, no dia 5, e 20 pessoas foram mortas numa base militar no Mali, em África, emboscada que foi também classificada como terrorista pelo governo do país.

Concluindo, a série de incidentes terroristas que se registaram nos meses de março e abril, em vários continentes do globo, comprovam a falsidade da alegação segundo a qual o terrorismo terá abrandado substancialmente durante a pandemia de Covid-19.

_______________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network