"Há dúvidas [de] que ninguém irá travar o tsunami do Chega? Esperneiem [que] eu gosto", comenta-se no post em causa, datado de 3 de dezembro. Exibe uma imagem com os supostos resultados de uma "nova sondagem SIC/'Expresso'", na qual sobressai um "Chega colado ao PSD".

Na liderança surge o PS com 40% das intenções de voto, seguindo-se o PSD com 24%, o Chega com 20%, a CDU com 6% e o Bloco de Esquerda com 5%, perfazendo um total de 95%.

Os resultados dos demais partidos (desde logo o CDS-PP, o PAN e o Iniciativa Liberal que tinham representação parlamentar na última legislatura) não aparecem na imagem mas, em conjunto, terão assim obtido 5% do total das intenções de voto expressas na sondagem.

Verdade ou mentira?

A mais recente sondagem SIC/"Expresso" referente a eleições legislativas foi publicada no dia 13 de novembro (pode consultar aqui). Os resultados que surgem na imagem estão corretos, excepto o do Chega que, na realidade, obteve 10% das intenções de voto. Também há uma imprecisão de dois pontos percentuais no que concerne ao PSD.

De facto, o PS destaca-se na liderança, com 40% das intenções de voto, seguindo-se o PSD com 26%, o Chega com 10%, a CDU com 6%, o Bloco de Esquerda com 5%, o PAN com 2%, o Iniciativa Liberal com 2% e o CDS-PP com 1%.

Estas percentagens correspondem a uma "projeção dos resultados excluindo abstencionistas (17%) e após imputação de indecisos e recusas (14%)". O trabalho de campo desta sondagem decorreu entre os dias 21 de outubro e 1 de novembro de 2021, sob a coordenação de uma equipa do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-ULisboa) e do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Foram obtidas 800 entrevistas válidas.

Consultando o arquivo de sondagens registadas na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), aliás, verificamos que o partido Chega nunca obteve 20% das intenções de voto referentes a eleições legislativas, ou quaisquer outras eleições em Portugal, desde a sua fundação em abril de 2019.

Trata-se portanto de uma fake news, baseada na deturpação grosseira dos resultados de uma sondagem.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network