"As coisas são como são. E como tal devem ser aceites. Sem discriminação mas com objetividade. Não conheço nenhum Prémio Nobel de qualquer ciência concedido a um indivíduo de raça negra", lê-se no post de 24 de junho no Facebook.

Consultando as listas de galardoados com o Prémio Nobel nas respetivas seis categorias - Física, Química, Medicina, Literatura, Paz e Ciências Económicas -, verificamos que há vários laureados nas categorias de Literatura e Paz que são identificáveis como pessoas de etnia negra.

Na categoria de Literatura destacam-se Wole Soyinka (Nigéria) em 1986, Derek Walcott (Santa Lúcia) em 1992 e Toni Morrison (EUA) em 1993, neste último caso a primeira mulher negra de sempre distinguida com um Prémio Nobel em qualquer categoria.

Por sua vez, na categoria de Paz destacam-se Ralph Bunche (EUA) em 1950, Albert John Luthuli (África do Sul) em 1960, Martin Luther King Jr. (EUA) em 1964, Desmond Tutu (África do Sul) em 1984, Nelson Mandela (África do Sul) em 1993, Kofi Annan (Gana) em 2001, Wangari Maathai (Quénia) em 2004, Barack Obama (EUA) em 2009, Ellen Johnson Sirleaf e Leymah Gbowee (ambas da Libéria) em 2011, Denis Mukwege (República Democrática do Congo) em 2018 e Abiy Ahmed (Etiópia) em 2019.

Quanto às categorias científicas, não encontramos pessoas de etnia negra entre os galardoados, com apenas uma excepção: em 1979, na categoria de Ciências Económicas, William Arthur Lewis (Santa Lúcia) foi laureado em conjunto com Theodore W. Schultz (EUA).

Foram então distinguidos "pela sua investigação pioneira do desenvolvimento económico, com particular consideração pelos problemas dos países em desenvolvimento".

Em conclusão, há uma pessoa negra que foi distinguida com um Prémio Nobel referente a uma categoria científica: W. Arhur Lewis, de Santa Lucia, em 1979, na categoria de Ciências Económicas.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network