Sobre a história da Ilha das Serpentes (Zmiinyi) já escrevemos, pode ler aqui, mas o que está agora em causa é a suposta emissão de um novo selo pelo Serviço Postal da Ucrânia (Ukrposhta) inspirado na coragem e resistência dos 13 soldados ucranianos que defenderam a pequena ilha calcária do Mar Negro, logo nos primeiros dias da guerra, até acabarem por ser aprisionados pelas forças militares da Rússia.

Ora, de acordo com várias publicações nas redes sociais (em diversos idiomas), o selo existe, consistindo nesta imagem em que um soldado ucraniano faz um gesto obsceno de desafio na direção de um navio de guerra russo, a partir de Zmiinyi, além de ter o seguinte título (citação da resposta de um dos soldados ucranianos à exigência de rendição dos inimigos): "Navio de guerra russo, vão-se lixar!"

De facto, no dia 12 de março de 2022, o Ukrposhta anunciou o vencedor do concurso (mediante "voto popular" no Facebook e Instagram) de desenho de um novo selo para comemorar a resistência dos guardas de fronteira ucranianos em Zmiinyi.

O desenho vencedor é da autoria de Borys Grokh e a respetiva imagem corresponde exatamente à que tem sido partilhada nas redes sociais. De acordo com a informação divulgada pelo Ukrposhta, Grokh é um pintor ucraniano que vivia na Crimeia até ser forçado a abandonar a sua casa, em 2014, na sequência da ocupação e anexação pela Rússia dessa península em pleno Mar Negro.

Presentemente vive na cidade de Lviv e ficou impressionado com a história dos soldados de Zmiinyi, tendo decidido participar no concurso do Ukrposhta com um desenho que visa "levantar o ânimo e o espírito de luta dos ucranianos".

O selo ainda não está disponível para venda, mas o Ukrposhta informa que chegará às estações de correio ucranianas num "futuro próximo".

____________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network