"Assim é fácil de ir ao inexistente planeta cor de ferrugem. Marte é uma estrela errante e não propriamente coisa física como a Terra", alega-se na publicação em causa, datada de 7 de março.

O novo rover da NASA pousou em Marte a 18 de fevereiro de 2021. Esta missão não tripulada visa recolher amostras do solo e de outros elementos do "Planeta Vermelho", com o objetivo de verificar se já existiu ou não vida em Marte. Além de ter filmado a sua própria aterragem, o Perseverance levou consigo um helicóptero - Ingenuity - que fará, "não antes de 8 de abril", informa a NASA em comunicado, o primeiro teste de voo controlado no planeta.

No dia 22 de fevereiro, a NASA revelou as imagens da aterragem do rover, assim como muitas outras da superfície marciana que viriam a ser publicadas na página oficial da agência. Mas será que a fotografia partilhada nas redes sociais, retratando uma formação rochosa encarnada e um fundo escurecido, é mesmo da autoria da NASA? 

A resposta é negativa. É falso que a NASA tenha produzido a imagem, ou que a tenha sequer divulgado como sendo uma fotografia real captada em Marte. Pese embora a segunda fotografia mostre, de facto, a formação rochosa Pobiti Kamani na Bulgária, a primeira não se trata de uma fotografia de Marte registada ou publicada pela NASA. Ao invés, esta parece ser apenas uma versão adulterada, através de um jogo de cores, da fotografia da Pobiti Kamani.

Não foi igualmente possível encontrar esta imagem na galeria fotográfica de exploração de Marte, disponível na página da NASA, e que inclui milhares de registos oficiais obtidos na superfície do planeta.

Esta é, assim, uma alegação sem qualquer tipo de fundamento, como de resto já confirmou à "Check Your Fact", plataforma de verificação de factos, uma fonte oficial do Glenn Research Center da NASA: "Confirma-se que esta não é uma fotografia de Marte da NASA".

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network