Na sequência do pedido de adesão à NATO, por parte da Suécia e da Finlândia, o liberal João Caetano Dias atribuiu ao jornal "Avante!", esta quarta-feira, uma suposta citação onde se terá dito que a Federação Russa tem feito "esforços de paz" e que o pedido de adesão da Finlândia era nada mais do que uma "clara submissão à vontade beligerante dos EUA".

tweet

O Polígrafo entrou em contacto com fonte oficial do Partido Comunista Português (PCP), que remeteu para a notícia publicada no respetivo jornal sobre o caminho de adesão da Finlândia e da Suécia à Aliança Atlântica, onde "não consta essa afirmação". O artigo em questão começa por citar um comunicado do PCP à imprensa sobre o "anunciado alargamento da NATO à Finlândia e à Suécia".

O Polígrafo entrou em contacto com fonte do Partido Comunista Português, que remeteu para a notícia publicada no respetivo jornal sobre o caminho de adesão da Finlândia e da Suécia à Aliança Atlântica, onde "não consta essa afirmação".

"Rei­te­rando as suas po­si­ções re­la­tivas à si­tu­ação na Eu­ropa e ao con­flito na Ucrânia, o PCP con­dena a es­ca­lada de guerra e mi­li­ta­rismo em curso, con­trária aos in­te­resses dos tra­ba­lha­dores e dos povos, e alerta para os sé­rios pe­rigos que uma tal es­ca­lada com­porta, no­me­a­da­mente para ou­tros pa­ta­mares de con­fron­tação mais glo­bais. O anun­ciado alar­ga­mento da NATO à Fin­lândia e à Suécia, não só não traz se­gu­rança, como re­pre­senta um sério agra­va­mento da tensão na Eu­ropa e no plano in­ter­na­ci­onal. A con­cre­tizar-se, sig­ni­fi­cará um salto qua­li­ta­tivo no pro­cesso de alar­ga­mento da NATO que leva a pre­sença deste bloco po­lí­tico-mi­litar junto às fron­teiras da Fe­de­ração Russa, um dos fatores que está na origem do agra­va­mento da si­tu­ação na Eu­ropa e da atual guerra na Ucrânia", lê-se no documento.

Em parágrafo algum desta notícia consta a frase citada por João Caetano Dias. Aliás, depois de contactado pelo Polígrafo no sentido de fornecer uma fonte para estas atribuições, o liberal voltou a recorrer ao Twitter para reverter o então escrito

Além disso, comunistas acreditam que o reforçar desta aliança "co­lo­cará em causa a tra­di­ci­onal neu­tra­li­dade destes dois países nór­dicos – re­corde-se a Con­fe­rência sobre Se­gu­rança e Co­o­pe­ração na Eu­ropa, re­a­li­zada em Hel­sín­quia, na Fin­lândia, entre 1973 e 1975, e os prin­cí­pios para as re­la­ções, se­gu­rança e co­o­pe­ração con­sa­grados na sua Acta Final –, mar­cando uma drás­tica vi­ragem na sua po­lí­tica ex­terna que, sig­ni­fi­ca­ti­va­mente, é le­vada a cabo de forma pre­ci­pi­tada e evi­tando que os povos desses países se possam pro­nun­ciar sobre uma de­cisão com tão in­qui­e­tantes con­sequên­cias para os pró­prios e para todos os ou­tros povos da Eu­ropa".

Em parágrafo algum desta notícia consta a frase citada por João Caetano Dias. Aliás, depois de contactado pelo Polígrafo no sentido de fornecer uma fonte para estas atribuições, o liberal voltou a recorrer ao Twitter para reverter o então escrito:

"Acreditei que era verdade, mas era apenas um amigo a gozar com o PCP. Não deixa de ser bastante credível. Mas era apenas gozo. Mea culpa."

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network