"O problema de ter um acidente com qualquer veículo elétrico é que se ficar preso, você está morto, pois é impossível remover as vítimas. Também não é possível apagar o fogo da bateria. A água faz com que o lítio arda. Eles esqueceram-se de vos contar essa parte", lê-se no post de 22 de julho no Facebook (tradução a partir do original em língua inglesa) que acumula milhares de comentários e partilhas.

De facto, as baterias de iões de lítio utilizadas nos automóveis elétricos contêm um eletrólito orgânico líquido que é altamente inflamável e, como tal, dificulta a extinção de um eventual fogo.

Quase todas as baterias dispõem de três elementos-chave: elétrodos, eletrólito e separador. Os elétrodos armazenam o lítio. O eletrólito transporta os iões de lítio entre os elétrodos. E o separador evita que o elétrodo positivo entre em contacto com o elétrodo negativo.

É um facto que as baterias de iões de lítio dos automóveis elétricos, assim como as utilizadas nos mais variados dispositivos eletrónicos, podem incendiar-se. O que torna as baterias dos automóveis elétricos mais perigosas é a utilização de um eletrólito orgânico líquido, segundo informa a Reuters, "são voláteis e inflamáveis quando operam a altas temperaturas. Uma força externa, como uma colisão, também pode levar a um derrame de substâncias químicas".

Apesar do perigo e da maior dificuldade, a água pode servir para apagar o fogo de uma bateria de iões de lítio. De acordo com o "PolitiFact" que verificou a alegação do post em causa, a Fire Protection Research Foundation - que é financiada pelo Departamento de Energia dos EUA - produziu um estudo que comprovou essa possibilidade, embora sublinhando a necessidade de enormes quantidades de água para extinguir as chamas.

"Foram utilizados mais de 2.600 galões de água [quase 10 mil litros] para extinguir um dos incêndios de teste de bateria realizados pelos investigadores. É quase o suficiente para encher uma piscina redonda de 12 pés [cerca de 3 metros]. Além disso, o relatório constatou que 'o uso de água não apresenta um risco elétrico para o pessoal de combate a incêndios", destacou o "PolitiFact".

De resto, há casos reais de incêndios em automóveis elétricos que foram apagados com recurso a água. Em 2021, por exemplo, a NBC reportou que, na sequência de um acidente em Houston, EUA, um automóvel elétrico de marca Tesla pegou fogo, o qual foi extinto com cerca de 28 mil galões de água.

Pelo que concluímos que a principal alegação do post não tem fundamento.

___________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network