Em resposta a um tweet sobre as mais recentes declarações de Papa Francisco sobre a guerra na Ucrânia, um utilizador do Twitter partilhou uma imagem em que se vê a conta do Sumo Pontífice da Igreja Católica identificada como sendo um "órgão de comunicação afiliado da Rússia".

Isto porque o Papa Francisco sugeriu que a NATO poderá ter motivado a invasão da Ucrânia por forças militares da Rússia. Na sua perspetiva, a Aliança Atlântica "ladrou" à porta da Rússia, segundo afirmou em entrevista ao jornal italiano "Corriere della Sera".

O Papa Francisco fez ainda menção à utilização de armas, dizendo o seguinte:

"Estou muito longe de poder responder à questão sobre se é certo fornecer armamento aos ucranianos. O que está claro é que as armas estão a ser testadas naquela terra. Os russos sabem agora que os tanques são de pouca utilidade e estão a pensar noutras alternativas. As guerras servem para isso: para testar as armas que produzimos."

"Não vou a Kiev agora. Enviei o cardeal Michael Czerny e o cardeal Konrad Krajewski, que lá foram pela quarta vez. Sinto que não preciso de ir. Primeiro tenho que ir a Moscovo, primeiro tenho que conhecer Putin", disse ainda o Papa Francisco ao mesmo jornal.

Apesar destas declarações, que para muitos podem parecer uma justificação da guerra na Ucrânia, é totalmente falso que a conta de Twitter do Papa Francisco esteja associada à Rússia. Pode conferir aqui a versão original da página.
Trata-se de uma montagem que, por ter suscitado dúvidas aos leitores, mereceu a verificação do Polígrafo.

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network