A canção Twist & Shout andou de mão em mão até cristalizar na sua forma mais conhecida, a versão do quarteto britânico The Beatles, que a gravou pela primeira vez em 1963.

Escrita em 1961, por Bert Berns, seria gravada em disco pela primeira vez nesse mesmo ano, pelo duo Top Notes. A produção foi, escreve o diário nova iorquino "New York Post", entregue a “um ainda jovem Phil Spector". O produtor musical que tinha tanto de génio (foi o produtor dos The Beatles na fase final da carreira dos Fab Four e é conhecido por ter criado a Wall of Sound, uma fórmula para a gravação de música pop e rock) como de excêntrico (está preso depois de ter sido condenado pelo assassinato da modelo e atriz Lana Clarkson), deu o seu toque pessoal a "Twist & Shout", mas o resultado ficou longe do esperado. "Foi um flop”, lê-se no "New York Post".

Twist & Shout
Twist & Shout pelos Top Notes

No ano seguinte Berns decide assumir o papel de produtor e entrega a sua criação aos Isley Brothers e esta versão de Twist & Shout, mais próxima da original idealizado pelo autor, teve o seu primeiro grande momento de êxito, escalando as tabelas de vendas dos estilos Pop e R&B.

Passado mais um ano, seria a vez dos The Beatles se cruzarem com o tema e o gravarem em disco. A partir daquele momento, a canção nunca mais seria a mesma e John, Paul, George e Ringo passaram a cantá-la com cada vez maior regularidade. "Twist & Shout" acabaria por tornar-se “uma assinatura da banda. E até a interpretaram numa das suas lendárias aparições no ‘The Ed Sullivan Show’, em 1964”, escreve o "New York Post".

A história da versão dos The Beatles está ligada à história da música. De acordo com o site Songfacts, o quarteto de Liverpool “fechava muitos dos seus primeiros concertos com esta canção. Era sempre um momento alto, sempre que a tocavam ao vivo e foi a escolhida para abrir a atuação no Shea Stadium, em agosto de 1965, naquele que foi o primeiro concerto rock  realizado num estádio.”

No documentário “Bang! The Bert Berns Story” Paul McCartney confessa que a maioria das pessoas “julga que fomos nós que escrevemos canção”.

Não escreveram mas foram eles que a transformaram num hit incontornável do rock ’n’ Roll, tantas vezes recuperado seja no cinema - “O Rei dos Gazeteiros”, de 1986, em que Matthew Broderick faz playback da versão dos The Beatles, ou “Regresso à Escola”, de 1988, que também incluir a canção na sua banda sonora - e por outras bandas - os The Who gravaram uma versão do tema em 1970. E Bruce Springsteen é um fã confesso de "Twist & Shout" e a canção é presença assídua no alinhamento das suas atuações ao vivo.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network