“Jingle bells, jingle bells/Jingle all the way/Oh! What fun it is to ride/In a one-horse open sleigh”. Estas são algumas das palavras mais cantadas durante o Natal: há muitas versões da música, como a de Frank Sinatra ou a de Crazy Frog, e até adaptações em várias línguas (português, espanhol e italiano, por exemplo). 

Qualquer que seja a versão, a verdade é que “Jingle Bells” ficou eternizada como uma música natalícia. Mas será que foi criada para esse efeito?

As origens da canção não são muito claras, tal como explica a plataforma norte-americana de verificação de factos "Snopes". No entanto, sabe-se que “Jingle Bells” foi escrita por James Lord Pierpont, um músico nascido a 25 de abril de 1822 em Boston. Foi registada e protegida por direitos autorais em 1857 em Savannah, no estado norte-americano da Geórgia, mas com uma curiosidade: não se chamava “Jingle Bells”, mas “One Horse Open Sleigh”. Só dois anos depois, quando foi republicada, é que o título passou a ser o que é mundialmente conhecido.

Foi registada e protegida por direitos autorais em 1857 em Savannah, no Estado norte-americano da Geórgia, mas com uma curiosidade: não se chamava “Jingle Bells”, mas “One Horse Open Sleigh”. Só dois anos depois, quando foi republicada, é que o título passou a ser o que todos conhecemos.

Contudo, apesar da data do registo, a cidade de Medford, em Massachusetts, onde o compositor viveu durante a infância, insiste que a canção foi escrita na Simpson Tavern no ano de 1850. “‘Jingle Bells’, a agora mundialmente famosa música de Natal, foi composta na Simpson Tavern em Medford, Massachusetts em 1950 por James Pierpont (1822-1893). A Simpson Tavern ficava no local onde agora é a 19 High Street na Medford Square. A música foi composta na presença de Otis Waterman, que mais tarde verificou o local onde a canção foi composta. Em 1857, James Pierpont, enquanto vivia na Geórgia, registou ‘Jingle Bells’. A letra da canção remete para os passeios de trenó realizados em Salem Street no início do século XIX", lê-se no site do "Medford Jingle Bell Festival".

Já os habitantes de Savannah acreditam que “Jingle Bells” falava sobre as temporadas de neve em Medford, mas que Pierpont a terá escrito durante o seu primeiro inverno sem neve na Geórgia. Segundo a informação veiculada pelo "Snopes", o debate entre Savannah e Medford "começou em 1985 quando Savannah inaugurou uma placa em Savannah’s Troupe Square em frente à Unitarian Church a que Pierpont chamou casa". Quatro anos mais tarde, "em 1989, Michael McGlynn, mayor de Medford, enviou uma carta ao homólogo de Savannah, John Rousakis, a afirmar que Medford era a casa de ‘Jingle Bells’ e que a música foi composta nessa mesma cidade em 1850". Ainda assim, explica-se no texto, os habitantes de Savannah continuam a "proclamar que a sua cidade é a casa de “Jingle Bells” porque a música foi registada enquanto Pierpont viveu na Georgia”.

Independentemente de todas as discussões sobre quando e onde James Pierpont compôs o sucesso musical, é claro para os investigadores que “Jingle Bells” não foi criada com o intuito de ser uma canção natalícia. Não tem qualquer referência ao Natal, a personagens do cenário da época festiva, como o Pai Natal, as renas ou os elfos, nem sequer ao mês de dezembro. A única possível associação da letra da música com esta época seria a menção à neve.

Na versão mais popular da história refere-se que Pierpont escreveu a canção para um programa do Dia de Ação de Graças (um feriado importante nos Estados Unidos e Canadá em que se agradece a Deus pelos bons acontecimentos do ano) na escola dominical do pai. A canção teria tido tanto sucesso que as crianças pediram que voltasse a cantá-la na época natalícia e assim estaria intrinsecamente ligada ao Natal desde aí.

Na versão mais popular da história refere-se que Pierpont escreveu a canção para um programa do Dia de Ação de Graças na escola dominical do pai. A canção teve tanto sucesso que as crianças da escola pediram que voltasse a cantá-la na época natalícia.

Porém, há quem não acredite nesta possibilidade por considerar que “Jingle Bells” seria muito ousada naquela época. “As referências a namoros não seriam bem aceites num programa de uma escola dominical da altura, tal como ‘Go it while you’re young’ [‘Vai em frente enquanto és jovem’]”, escreveu Margaret W. DeBolt, uma historiadora de Savannah. 

Embora não tenha sido criada para celebrar o Natal, “Jingle Bells” é um dos símbolos desta época para milhões de pessoas em todo o mundo e permitiu momentos icónicos como a colaboração entre o cantor italiano Andrea Bocelli e os Marretas e homenagens não menos importantes como o “Jingle Bell Rock” de Bobby Helms.

_____________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network