O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Município de Vila do Conde gasta 14.500 euros em tapete de flores para a JMJ?

Sociedade
O que está em causa?
Em causa está a "aquisição de flores de corte para a realização de ume tapete de flores no âmbito da Jornada Mundial da Juventude 2023". A descrição do contrato público é partilhada no Twitter, onde se destaca o valor do mesmo: 14.500 euros acrescidos de IVA, gastos pela Câmara de Vila do Conde no ajuste direto publicado no portal Base.

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) arrancou no dia 1 de agosto, com a cerimónia de abertura no Parque Eduardo VII. A missa presidida pelo cardeal patriarca de Lisboa foi o primeiro ponto de encontro dos peregrinos. Apesar de já estar tudo a postos para receber o Papa Francisco, que chega hoje a Portugal, a publicação de contratos públicos com despesas afetas ao evento continuam a somar-se no portal Base.

Na manhã de ontem, no Twitter, destacava-se o recente contrato relativo a um “tapete de flores”, no valor de 14.500 euros mais IVA. “A questão é: como é que um tapete de flores em Vila do Conde está relacionado com as JMJ?”, questiona-se num dos comentários ao tweet.

A despesa confirma-se?

Sim, o próprio autor do tweet divulga uma captura de ecrã do contrato em causa, disponível no portal Base. O Município de Vila do Conde, a entidade adjudicante, realizou um ajuste direto para a “aquisição de flores de corte para a realização de tapete de flores no âmbito da JMJ 2023”.

O contrato público é datado de 20 de julho e foi realizado pelo preço contratual de 14.500 euros. O tapete em causa é composto por 80 mil flores e foi preparado em Vila do Conde, segundo a RTP. Será exibido na cerimónia de acolhimento aos peregrinos, no Parque Eduardo VII, na quinta-feira, com a presença do Papa Francisco.

Os mais de 14 mil euros referem-se apenas à aquisição das flores utilizadas como matéria-prima da peça artística, uma vez que o trabalho de preparação e execução do tapete de grandes dimensões está a ser realizado exclusivamente por voluntários de Vila do Conde.

Os tapetes de flores são tradicionais da cidade a Norte e são executados de quatro em quatro anos, no dia de Corpo de Deus, ocupando as ruas do centro vilacondense. No caso da peça em preparação para a JMJ, os voluntários vão rumar até Lisboa para executar no local o tapete que vai servir de adorno a uma das cerimónias do evento religioso que reune milhares de jovens em Portugal.

___________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque