No final de novembro de 2018, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, viajou até ao México para visitar a Feira do Livro de Guadalajara, que teve Portugal como país convidado.

Nessa altura, a discussão sobre a questão do fim da isenção do IVA das touradas estava ao rubro. Desde que Graça Fonseca afirmara no Parlamento que “a tauromaquia não é uma questão de gosto, é uma questão de civilização", que o tema se tornara central no debate público, tendo a discussão alargado à própria essência da tourada, que sempre desagua numa pergunta para a qual existem respostas antagónicas: "Tem ou não sentido fazer um touro sofrer na arena?"

Pedro Delgado Alves, deputado do Partido Socialista, apresentou uma ideia que, em seu entender, podia ser um compromisso intermédio entre os ortodoxos anti-tourada e os amantes daquele espetáculo: colocar uma capa de velcro sobre o dorso do touro onde são coladas as bandarilhas, seguindo o exemplo dos Estados Unidos da América, do Canadá ou da Grécia, onde não há sangue durante o espetáculo tauromáquico.

graça
A ministra da Cultura na conferência da Lusa, onde afirmou que os portugueses devem ler jornais.

Questionada pelos jornalistas que acompanhavam a viagem sobre o que pensava da posição de Delgado Alves, a ministra afirmou desconhecê-la porque, sublinhou,  “uma coisa ótima de estar em Guadalajara é que não vejo jornais portugueses”, dando claramente a entender que a leitura de publicações nacionais não é um exercício que faça com gosto. A declaração foi proferida no dia 25 de novembro.

Apenas três meses depois, na passada sexta-feira, 21, a ministra, que participou na conferência da Agência Lusa “Combate às Fake News – Uma Questão Democrática”, afirmou que uma das soluções para travar a luta contra a desinformação é a promoção da literacia mediática. “É necessário voltar a ler jornais”, sublinhou, acrescentando que “se não conseguirmos ganhar esta batalha, é de facto um problema de democracia”. No seu programa de comentário semanal, a "Procuradora" da SIC expôs a contradição com humor, rematando: "Talvez seja bom ler jornais, desde que não digam nada sobre a ministra da Cultura."

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network